Interior da Igreja Matriz de Atalaia. Imagem: CMVNB

Após ter sido levada em tempos pelos descendentes dos condes da Atalaia para o Ribatejo Sul, a Pedra de Armas, que representa o brasão dos condes da Atalaia, regressa agora à Igreja da Atalaia, no concelho de Vila Nova da Barquinha. A cerimónia oficial da sua entrega decorre este sábado, 14 de maio.

Incluída no programa de animação cultural de Valorização da Igreja Matriz da Atalaia, a iniciativa contempla uma Missa | Concerto – Serviço de Música Sacra da Igreja de São Roque, às 14h30, a visita ao Pelourinho de Atalaia – Centro Comunitário (15h45) e ainda a visita à Igreja da Misericórdia e à Igreja Matriz de Tancos (16h30).

Este retorno deve-se a um protocolo celebrado em dezembro 2020 entre o Município de Vila Nova da Barquinha e familiares do Segundo Cardeal Patriarca de Lisboa, D. José Manoel, para a doação da pedra que representa “o brasão da Família Manoel, envolto pelas referências à qualidade de Bispo e Patriarca que usou o Senhor D. João Manoel (1686-1758), cujos restos mortais se encontram sepultados na Igreja Matriz da Atalaia”, conforme se pode ler no documento.

No protocolo, a que o mediotejo.net teve acesso, os familiares de D. José Manoel comprometeram-se “a doar a ‘pedra de armas’ (…) a qual deverá ser colocada na Igreja Matriz da Atalaia, devidamente enquadrada nos termos da proposta arquitetónica a apresentar pelo 1º outorgante Arqtº D. Bernardo d’Orey Manoel”, num documento que estipulava de igual forma os dizeres que a mesma deveria conter:

“Pedra de Armas de D. José Manoel da Câmara (Lisboa, 25 de Dezembro de 1686 – Atalaia, 9 de Julho de 1758), segundo Patriarca de Lisboa (1754), filho dos quartos condes de Atalaia, cujos restos mortais se encontram sepultados no altar-mor desta Igreja. Originalmente, esta Pedra de Armas foi concebida para a ‘Casa do Patriarca’ (Atalaia). Na primeira metade do século XX, foi removida e instalada no portão principal da Quinta (localizada no distrito de Santarém). Em 2020, descendentes do segundo Cardeal Patriarca de Lisboa ofereceram à Câmara Municipal de Vila Nova da Barquinha este testemunho histórico, para que pudesse regressar à povoação da Atalaia.”

O documento referia ainda que “no caso de a Câmara Municipal de Vila Nova da Barquinha vir a adquirir, no futuro e a título definitivo, a referida ‘Casa do Patriarca’, sita na Vila da Atalaia, as partes acordam em que a ‘pedra de armas’ deverá então voltar a ser colocada nessa casa, uma vez que foi concebida para aí figurar”.

Igreja Matriz de Atalaia, Vila Nova da Barquinha.

Recorde-se que é na Igreja Matriz Atalaia que se encontra igualmente o túmulo de D. José Manoel, segundo Cardeal Patriarca de Lisboa, junto ao qual se junta assim a referida Pedra de Armas.

Rafael Ascensão

Licenciado em Ciências da Comunicação pela Universidade da Beira Interior. Natural de Praia do Ribatejo, Vila Nova da Barquinha, mas com raízes e ligações beirãs, adora a escrita e o jornalismo. Ávido leitor, não dispensa no entanto um bom filme e um bom serão na companhia dos amigos.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.