Fotografia: Unsplash

Depois de alguns constrangimentos que ditaram sucessivos atrasos, a entrada em funcionamento da nova captação de água subterrânea na localidade de Filhós (Bugalhos, Alcanena) pode estar para breve, sendo que apenas se aguarda um parecer por parte da Agência Portuguesa do Ambiente (APA), para que a estrutura possa entrar em funcionamento, revelou o vereador Nuno Silva (Cidadãos por Alcanena) na última reunião camarária. Questionado sobre os maus cheiros sentidos ultimamente em Alcanena, o autarca explicou também que estes estão relacionados com o rearranque das empresas no novo ano.

A obra do furo em si está concluída pelo que se encontram a decorrer os trabalhos do perímetro de proteção da captação, algo que está também em licenciamento pela APA. Entretanto foram feitas as primeiras caraterizações analíticas do furo e a água apresenta “excelente qualidade”, fez saber Nuno Silva.

O também presidente do Conselho de Administração da Aquanena afirmou que não há uma previsão para a entrada em funcionamento efetivo da captação, uma vez que esta está apenas depende do licenciamento por parte da APA e da ARH (Administrações de Região Hidrográfica), sendo que assim que estas entidades derem o aval, o furo entra em pleno funcionamento “no dia seguinte”, pelo que se está a insistir “para que isso seja efetivado o mais rapidamente possível”.

Tendo em conta que a captação ainda não se encontra em funcionamento, foi necessário fazer-se um reforço de abastecimento, sobretudo no período festivo, tendo em conta que o número de pessoas presentes na freguesia era maior, detalhou ainda Nuno Silva, sendo que em teoria, com a nova diminuição da população, “iremos voltar à situação normal de não ser necessário esse reforço e assim que possível entraremos com o furo em funcionamento”, concluiu

Maus cheiros pontuais relacionados com o rearranque das empresas

Depois de o vereador José Luís Ramos (PS) ter pedido esclarecimentos sobre os maus cheiros sentidos ultimamente, o vereador Nuno Silva confirmou que têm acontecido situações “pontuais” e que estas estão relacionadas com o “rearranque” das empresas no novo ano, nomeadamente na semana passada.

Segundo o eleito pelo Cidadãos por Alcanena, os cheiros não estão relacionados com lamas mas sim com sulforetos, pelo menos nos episódios de que teve conhecimento, situação que é “recorrente nomeadamente quando são estes rearranques das empresas.

Também recorrente, segundo o edil, é uma situação que ocorre na zona urbana de Alcanena, pelo que “como os avisos não estão a chegar, se calhar temos de partir para outras situações, de outra forma que não só o chamar a uma reunião quer aqui quer na própria Aquanena, e se calhar temos de partir para outras situações, à força, possivelmente”, acrescentou.

Rafael Ascensão

Licenciado em Ciências da Comunicação e mestre em Jornalismo. Natural de Praia do Ribatejo, Vila Nova da Barquinha, mas com raízes e ligações beirãs, adora a escrita e o jornalismo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *