Obras no Convento de Cristo, em Tomar. Foto arquivo: Rafael Ascensão/mediotejo.net

Já é possível acompanhar online todas as informações relativas à intervenção de conservação e restauro que está a decorrer no Convento de Cristo, em Tomar, num portal criado para o efeito.

Quando foram iniciadas as obras, o que está a ser feito ou quais as áreas intervencionadas, são informações que estão agora disponíveis em www.preservaramemoria.ipt.pt, um microsite resultante da parceria entre o Convento de Cristo e o Instituto Politécnico de Tomar (IPT).

“Estas informações fazem parte da implementação de um modelo de “Obra Aberta” de modo a proporcionar o acompanhamento público dos diversos trabalhos, investigações e resultados”, explica-se em comunicado de imprensa.

Desta parceria resultará igualmente um folheto a disponibilizar aos visitantes com informação e identificação das áreas em intervenção neste Monumento Património Mundial da UNESCO, adianta-se na mesma informação.

Em causa está a empreitada “Convento de Cristo – Conservação, Restauro e Recuperação de fachadas e coberturas da igreja”, que visa a estabilização físico-química dos materiais constituintes e a preservação do aspeto e história original do monumento e onde os “pontos focais” são “Preservar a Memória” e “Construir o futuro”.

A intervenção assim envolve procedimentos de conservação e restauro a serem efetuados na Nave Manuelina, em todos os elementos estruturais e decorativos, nas três fachadas da Igreja, abrangendo a área desde a platibanda até à sua base, e todos os seus elementos decorativos, na Janela Manuelina, na Charola templária medieval, incluindo os panos de parede, contrafortes, merlões e a torre do relógio ou sineira, bem como será recuperada a cobertura da Sala dos Cavaleiros na ala nascente da Enfermaria Conventual.

A conclusão das obras de conservação e restauro está prevista para junho de 2023.

A atual intervenção representa um investimento financeiro de 1 milhão de euros, sendo que este Monumento Património Mundial tomarense vai beneficiar de um investimento total de 4.4 milhões de euros do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), a executar até 2025.

Rafael Ascensão

Licenciado em Ciências da Comunicação e mestre em Jornalismo. Natural de Praia do Ribatejo, Vila Nova da Barquinha, mas com raízes e ligações beirãs, adora a escrita e o jornalismo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *