'Maranho da Sertã' classificado como produto de Indicação Geográfica Protegida na UE. Foto: mediotejo.net

O Maranho volta a ser rei na 9.ª edição do Festival de Gastronomia, que decorre na Alameda da Carvalha, Sertã, entre os dias 18 e 21 de julho com um programa recheado de espetáculos e atividades. O mediotejo.net quis saber como se faz o tradicional maranho e foi Odete Farinha, cozinheira há 40 anos, que nos ensinou os truques e segredos deste produto tradicional procurado por muitos apreciadores durante todo o ano.

Com um programa recheado de espetáculos e atividades, a edição deste ano tem como convidados especiais os artistas D.A.M.A., Bárbara Bandeira, Áurea, Blaya e Amor Electro, a que se juntam diversos grupos da região e os chefes de cozinha Tia Cátia e Joe Best. Destaque também para a emissão em direto do programa da RTP1 «Aqui Portugal», durante o dia 20 de julho.

Foi na cozinha do restaurante Ponte Velha, na Sertã, que Odete Farinha, cozinheira há 37 anos na empresa Santos e Marçal e chefe de cozinha deste restaurante, nos ensinou a confecionar o tradicional maranho da Sertã.

Neste espaço de restauração são feitos cerca de 200 kgs de maranhos por semana, valor que mais que duplica nos dias do Festival de Gastronomia da Sertã, o que prova que, de facto, este é um produto muito apreciado e procurado, não só por turistas, como também pelos locais.

Odete Farinha é chefe de cozinha do restaurante Ponte Velha, na Sertã (Foto: mediotejo.net)
Odete Farinha é chefe de cozinha do restaurante Ponte Velha, na Sertã. Foto: mediotejo.net

A história do maranho da Sertã está ligada às condições socioeconómicas que se viviam no concelho, em que a cabra e o borrego existiam em abundância e havia a necessidade de aproveitar todas as partes dos animais. No início, o consumo deste produto foi muito regular. Mais tarde passou a estar presente em ocasiões festivas e hoje faz parte da maioria das ementas dos restaurantes da região.

O típico maranho da Sertã tem um aroma e sabor muito característicos, onde a hortelã e a carne de cabra ou de borrego predominam.

A carne de cabra, ou borrego, e a hortelã são os aromas típicos do tradicional maranho da Sertã (Foto: mediotejo.net)
A carne de cabra, ou borrego, e a hortelã são fundamentais no tradicional maranho da Sertã. Foto: mediotejo.net

Mas, afinal, como é que se faz o tradicional maranho da Sertã? Odete Farinha ensina-nos: primeiro que tudo, há que ter um bucho de cabra, também conhecido como bandouga, que é muito bem lavado com água, sumo de limão e, depois de preparado, cose-se com linha e agulha de forma a conseguir um saco.

Corta-se a carne de cabra em pedacinhos, bem como o chouriço, toucinho entremeado e presunto migados. Tempera-se com sal, pimenta e vinho branco e mistura-se tudo muito bem. A este preparado de carnes, junta-se a hortelã cortada em pedacinhos, afinal é esta erva aromática que vai dar todo o sabor característico do maranho. Volta a envolver-se tudo muito bem.

O arroz, ao qual é misturado um pouco de azeite para, segundo ensina Odete Farinha, “permitir que o arroz fique mais solto depois de cozido”, é também adicionado à mistura das carnes.

Não esquecer de adicionar um pouco de sumo de limão “para que a hortelã não fique escura e fique verdinha”, sublinha Odete Farinha.

Depois de tudo muito bem envolvido, eis que o maranho está pronto a encher. “Não convém ficar muito cheio”, alerta Odete Farinha. Depois de cheio, o maranho é cosido com agulha e linha, fica fechado e vai a cozer, mais ou menos durante hora e meia.

E assim temos um saboroso maranho da Sertã.

Durante o Festival Gastronómico do Maranho, o restaurante Ponte Velha serve mais de 400 kgs desta iguaria por dia (Foto: mediotejo.net)
Durante o Festival Gastronómico do Maranho, o restaurante Ponte Velha serve mais de 400 quilos desta iguaria por dia. Foto: mediotejo.net

Para o presidente da Câmara Municipal da Sertã, José Farinha Nunes, o Festival de Gastronomia do Maranho da Sertã é “uma das marcas distintivas do concelho e aquela que congrega em torno de si tudo o que de melhor a nossa região tem para oferecer. É uma autêntica montra daquilo que somos enquanto comunidade”, destacou.

José Farinha Nunes destaca “o excelente cartaz deste ano” e chama a atenção para “a importância do Festival enquanto polo dinamizador da nossa gastronomia local, ao mesmo tempo, que promove e divulga as potencialidades turísticas do concelho da Sertã”.

Com um programa recheado de espetáculos e atividades, a edição deste ano tem como convidados especiais os artistas D.A.M.A., Bárbara Bandeira, Áurea, Blaya e Amor Electro, a que se juntam diversos grupos da região e os chefes de cozinha Tia Cátia e Joe Best. Destaque também para a emissão em direto do programa da RTP1 «Aqui Portugal», durante o dia 20 de julho.

A banda Amor Electro atua este ano na Sertã. Foto: DR

O Festival de Gastronomia do Maranho da Sertã tem início no dia 18 de julho (quinta-feira), com uma arruada com filarmónicas do concelho, pelas 18 horas. A cerimónia de abertura do Festival acontece meia-hora depois, na Alameda da Carvalha. A animação de rua continua pelas 20 horas com o Grupo de Animação Seca Adegas e às 22 horas sobem ao palco os D.A.M.A.

No dia 19 de julho (sexta-feira), a Associação de Tambores de Casal da Madalena faz uma arruada a partir das 18 horas, seguindo-se (18h30m) um showcooking com a chef Tia Cátia, na Praça de Restauração do Festival. Os Brass Fusion animam as festividades depois das 20 horas e a cantora Bárbara Bandeira inicia o seu concerto musical pelas 22h.

O momento alto da noite acontece com o espetáculo da conhecida intérprete Áurea (23h30), seguindo-se a performance do Dj Silver Fox.

O programa de sábado (20 de julho) começa bem cedo (9h), com a Corrida do Maranho e a Rota do Maranho, ambas com partida na Avenida Padre Manuel Antunes (frente ao Terminal da Rodoviária). Os stands do Festival abrem às 10 h e uma hora depois arranca a primeira parte (11h-13h) do programa da RTP1 «Aqui Portugal». A segunda parte desta emissão em direto decorre no período da tarde, entre as 14h30m e as 20h.

Aurea. Foto: mediotejo.net

Entretanto, pelas 18h, o chef Joe Best realiza um showcooking na Praça de Restauração e, às 20h, os Tocá Rufar animam as ruas. À noite, os Popxula sobem ao palco às 22h e hora e meia depois (23h30) a cantora e compositora Blaya promete um grande concerto. O dj Hugo Rafael fecha a noite, depois da 1h.

O dia de domingo começa sob o signo do bem-estar. Após a abertura dos stands (10h), ocorre uma Aula de Zumba (11h). Na parte da tarde, a cultura do concelho estará em destaque, com as atuações do Grupo de Música Popular de Cernache do Bonjardim (15h), Grupo de Concertinas da Sertã (15h30m), Escola de Acordeão da Sertã (16h) e da Tocata do Rancho Folclórico de Pedrógão Pequeno (16h30m).

Pelas 19 horas, os Xaral’s Dixie animam as ruas, abrindo espaço para o concerto dos Amor Electro, a partir das 22 horas. O encerramento do Festival acontece às 23h30 com um espetáculo piromusical.

Durante os quatro dias do Festival de Gastronomia do Maranho da Sertã decorrem diversas atividades permanentes, designadamente a “Quinta da Alegria” e “Espaço Selfie”, parede de escalada, rapel e sup paddle.

Festival do Maranho vai aquecer com Blaya, Áurea, D.A.M.A., Amor Electro e Bárbara Bandeira. Foto: DR

*Entrevista publicada em julho de 2016/ com video e texto de Margarida Serôdio

**Atualizada e republicada em julho de 2019 no âmbito da promoção do Festival do Maranho

Mário Rui Fonseca

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *