Festas de Ponte de Sor que celebram 37 anos de elevação a cidade. Créditos: mediotejo.net

A abertura oficial das Festas da Cidade de Ponte de Sor decorreu, na tarde de quinta-feira, com a visita do executivo municipal aos 62 expositores da mostra de artesanato. As palavras que antecederam a visita estiveram a cargo da vereadora da Cultura e Turismo, Alda Falca, que ao lado do presidente da Câmara Municipal de Ponte de Sor, Hugo Hilário (PS), agradeceu a participação de todos fazendo votos de um bom regresso às Festas, notando que o programa pretende responder a públicos diversos, distinguindo-se pela qualidade dos artistas convidados.

“Espero que sejam dias divertidos, animados”, disse Alda Falca, deixando uma palavra especial de agradecimento aos expositores que após dois anos de interregno voltaram a responder ao convite do município e à Escola de Artes do Norte Alentejano, presente na cerimónia de abertura oficial, brindando o público com alguns apontamentos musicais.

Festas de Ponte de Sor que celebram 37 anos de elevação a cidade. Créditos: mediotejo.net

Trata-se de um evento organizado pelo Município no sentido de divulgar a cultura, a gastronomia e também o tecido empresarial e agrícola do concelho, nomeadamente através da Feira Agro-Florestal promovida pela Aflosor também com o objetivo de promover o território.

A Associação de Produtores Agroflorestais da Região de Ponte de Sor, após dois anos de interrupção, está de regresso com a 8ª edição da Feira nos dias 8, 9 e 10 de julho, na Zona Ribeirinha, evento que decorre em paralelo com as Festas da Cidade e conta com vários expositores, tasquinhas e momentos musicais.

Festas de Ponte de Sor que celebram 37 anos de elevação a cidade. Créditos: mediotejo.net

Durante estes quatro dias de Festa, o presidente da Câmara Municipal espera “alegria e confraternização” considerando esta abertura “um dia feliz” por representar a retoma “das nossas iniciativas coletivas, das nossas atividades. Podermos confraternizar, podermos mostrar o que de melhor temos e podermos também festejar e celebrar aquelas que são as conquistas, os desafios e ao mesmo tempo aquela que tem sido a dinâmica que temos criado nos últimos anos, em Ponte de Sor”.

Hugo Hilário considera que as Festas “também servem para, todos os dias, tentarmos consolidar a nossa comunidade, reforçar a nossa rede social, cultural, desportiva e apelar a uma união coletiva que Ponte de Sor tem habituado a região, o país e, nalguns setores, até o mundo nestes últimos tempos”.

Deu conta que esta edição das Festas da Cidade é de “retoma”, ou seja, o executivo municipal procurou “adaptar isso quer aos períodos que passámos quer, e principalmente, a um enquadramento muito próprio depois desta pandemia”. Em destaque – e em continuidade – “as mostras de artesanato, reforçamos um bocadinho o investimento nalgumas atividades durante as Festas na Zona Ribeirinha mas também noutras localizações e noutros horários fora destas festas”, referiu.

Festas de Ponte de Sor que celebram 37 anos de elevação a cidade. Créditos: mediotejo.net

Um dos atrativos do evento é o Festival de Artes de Rua Bolota, que vai trazer animação às ruas da cidade durante dois dias.

A criação de um novo logótipo das Festas da Cidade é também uma das novidades deste ano, com uma imagem considerada pelo município “mais apelativa, moderna e identitária de Ponte de Sor”, pintada com as cores do logótipo principal da Câmara Municipal.

No entanto, o principal objetivo passa por “sentir que estes dias da cidade, que estes dias de festa, não perderam a sua característica, a sua força, a sua dinâmica, e continua a orgulhar os pontessorenses e a chamá-los” à Zona Ribeirinha e aos espaços onde a animação decorre, concluiu o presidente.

Hugo Hilário, presidente da Câmara Municipal de Ponte de Sor

Além das propostas culturais, da mostra de artesanato e da programação musical, o visitante pode apreciar os petiscos do concelho de Ponte de Sor nas tasquinhas das freguesias e das coletividades representadas no recinto das festas.

O ambiente também não foi esquecido e mais uma vez as Festas da Cidade contam com uma componente de preservação ambiental, com o ‘ecocopo’ a continuar a ser uma realidade no sentido de incentivar a reutilização.

Festas de Ponte de Sor que celebram 37 anos de elevação a cidade. Créditos: mediotejo.net

Nos 62 expositores de artesanato encontrará uma variada oferta, desde cestaria a bijuteria, passando por tecelagem e até fantoches artesanais e arte em xisto.

Maria João Anastácio e Paulo Pimenta são os artesãos responsáveis pelo stand das peças em xisto, uma arte que Maria João iniciou há três anos. Residente em Ponte de Sor conta com uma oficina na cidade alentejana e também em Rio Maior.

Refere ao nosso jornal que a ideia surgiu após uma visita a Piodão, um local do qual gostou muito mas com artesanato que a dececionou, propondo ao seu companheiro, Paulo Pimenta, que “fizesse um casinha”. E depois de lançado o repto muitas outras “casinhas” surgiram, bem como barcos, faróis, moinhos, coretos e variadas peças que podem ser apreciadas e compradas por estes dias em Ponte de Sor.

“Tenho uma mente muito inquieta. Estou a fazer uma peça e já penso noutra, tenho muitas ideias” , conta Maria João ao mediotejo.net explicando que 70% a 80” do seu tempo é dedicado ao artesanato.

Festas de Ponte de Sor que celebram 37 anos de elevação a cidade. Créditos: mediotejo.net

“Apesar de dar muito trabalho, gosto muito e gosto de ver uma peça acabada”, afirma a artesã que tem peças no seu expositor desde os 5 a 190 euros.

Manuel Martins tem 82 anos e trabalha no vime desde os 7. O artesão, natural de Ponte de Sor, dedica-se à cestaria e encontra-se na feira a trabalhar ao vivo, embora também saiba da arte de latoeiro. No seu expositor não faltam as antigas fisgas, bancos, cestas e cadeiras.

Festas de Ponte de Sor que celebram 37 anos de elevação a cidade. Créditos: mediotejo.net

A Fantomines, além de vender fantoches artesanais desde 25 euros, propõe ainda animação, e teatro de fantoches em espetáculos, escolas, aniversários e eventos.

Festas de Ponte de Sor que celebram 37 anos de elevação a cidade. Créditos: mediotejo.net

No que toca a música, esta sexta-feira, as honras musicais caberão à Orquestra de Harmónicas de Ponte de Sor, ao grupo Farra Fanfarra e aos Expensive Soul, terminando a noite ao som do DJ Peat.

No sábado, a atuação de Cuca Roseta e Rui Drumond com a Orquestra Ibérica promete ser um dos grandes atrativos, sendo antecedidos pela Orquestra Ligeira da Câmara Municipal de Ponte de Sor e a Bandas às Riscas. A noite de 9 de junho fecha com a DJ Ana Isabel Arroja.

No último dia das Festas da Cidade, haverá o Encontro de Coros e as atuações da Banda da Sociedade Filarmónica Galveense e do Festival Kiitos, espetáculo musical para os mais novos. Rouxinol Faduncho é o artista que vai encerrar o certame.

Paula Mourato

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.