Utentes da Saúde pedem mais profissionais e dentistas para o Médio Tejo. Foto: DR

“Surgiram alguns constrangimentos técnicos com o equipamento de Saúde Oral do Centro de Saúde Vila Nova da Barquinha que pensamos já estarem ultrapassados, pelo que contamos que, entretanto, as consultas se iniciem brevemente”, disse a ARSLVT (Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo) ao nosso jornal.

O objetivo com este equipamento é que o mesmo venha permitir alargar os cuidados de saúde oral a todos os cidadãos, independentemente das suas condições económicas e sociais, naquele que foi um investimento de 40 mil euros financiado por fundos comunitários, destinado a abranger uma população de 8.090 utentes de Vila Nova da Barquinha. Mas o problema não é exclusivo deste município.

Manuel José Soares, da Comissão de Utentes da Saúde do Médio Tejo (CUSMT), já alertou para esta situação, que é extensível a outros concelhos da região, referindo que, “embora com algum atraso”, os gabinetes de saúde oral foram instalados em todos os Centros de Saúde do Médio Tejo, embora tenha dado conta que poucos estão a funcionar. “Não sabemos bem porquê, o que é certo é que neste momento, dos 12 centros de saúde, apenas cinco estão a funcionar [com saúde oral] e têm profissionais”.

“Nos casos de Fátima, Mação, Ferreira, Alcanena, Sardoal, Constância, Torres Novas, os profissionais abandonaram o serviço, não sabemos o que é que se passa, isto é da responsabilidade da ARS, o que é verdade é que com este paradoxo – não havia saúde oral porque não havia gabinetes, equipamentos e condições, hoje há gabinetes, equipamentos e condições e não há profissionais – nós vamos indagar o que é que se passa realmente com isto, mas achamos realmente muito estranho”, afirmou Manuel José Soares.

ÁUDIO | MANUEL JOSÉ SOARES, PORTA-VOZ UTENTES DA SAÚDE MÉDIO TEJO:

No âmbito da saúde, o porta-voz da Comissão de Utentes da Saúde do Médio Tejo deu ainda conta ao mediotejo.net da entrega de um abaixo-assinado levado a cabo no concelho de Vila Nova da Barquinha paraa reabertura de algumas extensões de saúde, encerradas desde a pandemia.

“Foi indicado que os responsáveis da USF de Vila Nova da Barquinha reuniriam connosco no dia 13 de setembro para ver quais são as possibilidades práticas de de alguma poder abrir, se não todas, algumas das extensões de saúde que estão fechadas desde o princípio da pandemia”.

Manuel José Soares disse ainda que no dia 23 de setembro vai haver uma reunião com o Conselho de Comunidade do ACES Médi Tejo, “em que esperaremos que estejam presentes todas as Assembleia Municipais, especialmente aquelas que mais problemas têm”, e onde o mesmo espera que se debata aquilo que foi feito no primeiro semestre e quais são as perspetivas para o futuro imediato e a médio prazo, nomeadamente no que respeita às contratações de médicos, até porque “há realmente aqui sinais muito contraditórios relativamente à contratação de médicos”, afirmou.

Rafael Ascensão

Licenciado em Ciências da Comunicação e mestre em Jornalismo. Natural de Praia do Ribatejo, Vila Nova da Barquinha, mas com raízes e ligações beirãs, adora a escrita e o jornalismo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.