A compostagem doméstica é uma aposta para o aproveitamento dos biorresíduos e diminuição da quantidade de lixo que segue para aterro. Foto: Pixabay

A Câmara Municipal de Alcanena viu aprovada junto do Fundo Ambiental uma candidatura para desenvolver um projeto de recolha seletiva de biorresíduos durante o ano de 2023, com distribuição gratuita de compostores domésticos aos cidadãos que o requeiram. O valor máximo do financiamento é de 25 mil euros, sendo que o valor total de investimento solicitado pela autarquia foi de 40 mil euros.

O projeto assenta numa “estratégia de comunicação física e digital”, e foca-se na distribuição de compostores domésticos aos munícipes que manifestem interesse e que disponham de condições físicas para o fazer, sendo-lhes igualmente entregue um manual prático com as informações essenciais para a prática da compostagem doméstica.

Em complemento, serão ainda realizadas campanhas de sensibilização nas diferentes freguesias e nos jardins de infância e escolas do concelho de Alcanena.

“A equipa técnica do projeto dispõe de diferentes valências, know-how, competências e experiência nas temáticas a desenvolver. De salientar a existência de uma entidade observadora do projeto, a ZERO – Associação Sistema Terrestre Sustentável, que manifestou interesse em acompanhar o projeto, embora não tendo qualquer envolvimento na sua execução física e financeira”, lê-se em informação municipal.

Dentro do programa “RecolhaBio – Apoio à Implementação de Projetos de Recolha Seletiva de
Biorresíduos” e da área do Médio Tejo foram ainda aprovadas candidaturas dos municípios de Vila de Rei, Entroncamento, Torres Novas, Constância, Sertã, da Tejo Ambiente e dos Serviços Municipalizados da Câmara Municipal de Abrantes, podendo o relatório final das candidaturas ser consultado AQUI.

Este programa visa “financiar investimentos já realizados, a realizar ou a decorrer e que tenham um contributo positivo para o aumento da quantidade e qualidade da reciclagem dos resíduos, com particular ênfase nos biorresíduos, promovendo a redução da deposição de resíduos em aterro”.

Rafael Ascensão

Licenciado em Ciências da Comunicação e mestre em Jornalismo. Natural de Praia do Ribatejo, Vila Nova da Barquinha, mas com raízes e ligações beirãs, adora a escrita e o jornalismo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *