Vila Nova da Barquinha. Foto: mediotejo.net

A Assembleia Municipal de Vila Nova da Barquinha, na sessão do dia 15, aprovou por unanimidade a revogação do Plano de Pormenor de Salvaguarda da Zona Baixa de Vila Nova da Barquinha.

A proposta da Câmara de revogar este documento, que está em vigor desde 1993, justifica-se pelas regras definidas no PARU e no Regulamento Municipal de Reabilitação Urbana, documento considerado fundamental uma vez que contém várias cláusulas com vista à preservação do património edificado.

O presidente da Câmara deu como exemplo as cantarias, os telhados, os beirados portugueses e as chaminés, elementos cuja proteção está garantida.

Para Fernando Freire, o objetivo é “revitalizar, reabilitar e recuperar a zona baixa, num processo integrado que requer nomeadamente o restauro, a conservação, reconstrução e também uma dinamização social e económica”.

O autarca realça ainda o facto de atualmente estarem a decorrer quatro dezenas de intervenções na Área de Reabilitação Urbana (ARU), quer por particulares, quer pela Câmara, a que acresce os projetos já aprovados.

Na zona baixa da Vila não existem quaisquer imóveis classificados.

José Gaio

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *