Imagem: mediotejo.net

Para que o BARK-Bioparque se concretize junto ao Parque Empresarial em Vila Nova da Barquinha, é necessária uma alteração ao Plano Diretor Municipal (PDM), que passa pela transformação do uso do solo de “espaço florestal” para “serviços”, criando-se ali uma unidade operativa de planeamento e gestão.

O assunto constou da ordem de trabalhos da reunião de Câmara do dia 14 de agosto e foi aprovado por unanimidade, seguindo agora o processo para a Assembleia Municipal.

Sobre o projeto e a alteração ao PDM, o Presidente da Câmara Fernando Freire revelou que teve uma reunião com a CCDR LVT – Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo. Na reunião do Executivo, o autarca explicou que “o objetivo é conjugar o projeto do Bioparque com a revisão do PDM que está em marcha, e que tem de estar concluída até maio de 2020”.

Entretanto decorre o estudo de impacte ambiental e a avaliação ambiental estratégica do BARK, que pretende ter mais de 250 animais distribuídos por 43 hectares, em diferentes habitats, num investimento de 70 milhões de euros.

José Gaio

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *