Câmara da Barquinha vai apoiar IPSS no pagamento da fatura da água. Foto: DR

Tendo em conta as novas tarifas da Tejo Ambiente – que entraram em vigor em agosto 2022 e acarretaram um aumento na ordem dos 23% nas faturas da água – a Câmara Municipal de Vila Nova da Barquinha vai subsidiar as IPSS (Instituição Particular de Solidariedade Social) do concelho com comparticipações nas faturas da água, naquele que se prevê ser um investimento de cerca de 23 mil euros.

Depois de já ter aprovado a comparticipação do pagamento da fatura da água a famílias carenciadas, o executivo municipal de Vila Nova da Barquinha aprovou agora por unanimidade alargar esse apoio às IPSS. Naquela que considerou como uma “questão fundamental”, Fernando Freire (PS), presidente da Câmara Municipal, referiu que os consumos vão ser aferidos para que não haja “abusos”.

A vereadora Paula Silva (PSD) mostrou-se concordante também neste ponto, considerando que se deve realmente ajudar as IPSS, mas com algumas cautelas.

“Deve ser dada esta ajuda (…) agora o que eu peço é, tem de haver equilíbrio. Tem de haver um controlo e vou fazer aqui uma sugestão de que seja feito a seis meses o controlo dos consumos comparativamente com o ano anterior, e perceber se estamos dentro destes 23 [mil euros previstos de investimento] ou não, porque se vamos dar apoio e depois eles sabem que os gastos são por conta da Câmara…. (…)”, disse a edil, que se mostrou completamente favorável à atribuição do apoio.

Neste sentido, a atribuição do apoio foi aprovada, com uma periocidade anual renovável e uma avaliação semestral.

Fernando Freire disse aos jornalistas que a medida terá efeitos retroativos a agosto de 2022, acrescentando que se trata “de ajudar também com o Orçamento Municipal a suportar os aumentos da respetiva tarifa. Vivemos tempos complicados (…) subiu a água, a luz, o gás, e todas as IPSS (…) têm resultados negativos, significa que não bastou o Covid, não bastou outras situações complexas que atravessam (…) quanto mais agora a questão da tarifa. O que nos importa de sobremaneira é de facto ajudar”.

Fernando Freire (PS), presidente da Câmara Municipal de Vila Nova da Barquinha

“Mas também uma ajuda temporal, com a avaliação de seis em seis meses como foi deliberado aqui em reunião de Câmara e depois com uma renovação anual destas despesas que vão sendo suportadas pelo município, e que na prática com gestão dos fundos financeiros temos que de facto controlar, esse é o nosso objetivo, sem obviamente deixar de ajudar”, disse ainda o autarca barquinhense.

Rafael Ascensão

Licenciado em Ciências da Comunicação e mestre em Jornalismo. Natural de Praia do Ribatejo, Vila Nova da Barquinha, mas com raízes e ligações beirãs, adora a escrita e o jornalismo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *