Agrupamento DE Escolas da Barquinha alia-se a projeto solidário para ajudar jovens moçambicanos Foto: João Relvas7EPA

“Um sorriso para Pemba” é o nome do projeto solidário que está a unir o Agrupamento de Escolas de Vila Nova da Barquinha de forma a ajudar na alimentação, matrículas, uniformes e material escolar de jovens moçambicanos de Pemba em dificuldades devido aos ataques em Cabo Delgado. Para já os alunos já estão a vender rifas, sendo que está ainda previsto um jantar solidário a ser realizado em novembro.

A iniciativa surgiu através do pedido do padre Ricardo Marques, pároco na diocese de Pemba e ex-aluno do Agrupamento barquinhense, que desafiou à implementação desta iniciativa que visa ajudar os jovens provenientes de famílias carenciadas, deslocadas de guerra devido aos ataques em Cabo Delgado. Até ao momento – com o apoio da diocese de Pemba e de outras organizações – a paróquia de Maria Auxiliadora já ajudou mais de 200 jovens nesta iniciativa, revela o Agrupamento em comunicado.

Este projeto pretende assim alcançar quatro objetivos bem definidos, nomeadamente em ajudar os(as) jovens carenciados, provenientes de famílias deslocadas, nas suas necessidades educativas, ajudar à promoção da dignidade humana (com programas e atividades complementares), acompanhar e estimular as famílias na sua formação integral e estimular as famílias no crescimento e na transmissão dos valores humanos, morais, éticos e cívicos.

A comunidade educativa de Vila Nova da Barquinha já se encontra a angariar fundos, tendo sido pedida a colaboração de todos os alunos, através da venda de um bloco de dez rifas com o valor de um euro cada. O Agrupamento irá ainda promover um jantar solidário “imbuído no espírito Natalício de Amizade, Solidariedade e Bem Fazer” no dia 25 de novembro, sendo que entretanto serão divulgados mais pormenores.

Numa fase inicial, o Agrupamento Escolar barquinhense pretende tentar chegar aos 50 jovens beneficiados, mantendo em aberto a possibilidade de alcançar números superiores a este. Segundo os dados apresentados pelo agrupamento, a ajuda a cada um dos jovens estudantes moçambicanos tem o custo de 48€, montante repartido entre o valor da matrícula, do uniforme e do material escolar.

“Pretende-se, por outro lado, que este não seja somente um donativo, mas uma forma de ajudar pedagogicamente a comunidade educativa, principalmente os alunos deste agrupamento, na construção e edificação de valores humanos, éticos, morais e cívicos e na construção de um mundo mais fraterno e solidário”, refere ainda a informação enviada ao nosso jornal.

A iniciativa decorre até junho 2023.

Os jovens a serem beneficiados serão sinalizados com base nos seguintes critérios:
a. Famílias deslocadas, vítimas dos ataques em Cabo Delgado (critério obrigatório);
b. Famílias sem fontes de rendimento ou com rendimentos baixos;
c. Famílias cujas lideranças são pessoas idosas;
d. Famílias cujas lideranças são pessoas doentes;
e. Famílias cujas lideranças são viúvas ou mulheres grávidas;

Haverá assim uma equipa designada para, em articulação com as lideranças locais, sinalizar os jovens a beneficiar com base nestes critérios, sendo que será a Cáritas a responsável pela aquisição dos tecidos e materiais escolares em mercados locais e, nalguns casos, fora de Pemba. Será também a Cáritas a entidade que fará o controlo e a gestão dos donativos, bem como irá produzir relatórios trimestrais com todos os documentos justificativos necessários, como extratos bancários, faturas, relatórios de acompanhamento mensais, ou outros.

Agrupamento de Escolas de Vila Nova da Barquinha. Foto: mediotejo.net

Rafael Ascensão

Licenciado em Ciências da Comunicação e mestre em Jornalismo. Natural de Praia do Ribatejo, Vila Nova da Barquinha, mas com raízes e ligações beirãs, adora a escrita e o jornalismo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *