Foto DR

São já 35 os utentes deste serviço instituído em Vila de Rei no ano 2012. Num concelho com população envelhecida, e em muitos casos isolada devido à dispersão das aldeias, este tem sido um instrumento de sucesso. Ricardo Aires (PSD), presidente da CM Vila de Rei refere que este serviço é “uma mais-valia para o concelho” e que estará para breve a disponibilização de novas valências complementares, nomeadamente a leitura e monitorização de tensão arterial.

Na passada reunião de executivo camarário, a 20 de julho, foi aprovado mais um requerimento para atribuição do serviço de teleassistência, mais um que se junta aos já muitos interessados em usufruir deste projeto.

“O balanço é francamente positivo, posso dizer que este aparelho tem ajudado muito os nossos idosos, principalmente os que estão isolados”, referiu Ricardo Aires, indicando que a aposta está em “melhorar este serviço”, uma vez que há cada vez mais possibilidades e avanços em termos tecnológicos, e é nesse sentido que a Câmara está a proceder a “melhoramentos juntamente com uma empresa”.

Por outro lado, deu conta o autarca que os familiares, nomeadamente filhos que vivem fora do concelho, também já se interessam por instalar este mecanismo no sentido de facilitar contactos e por motivos de segurança. “Há pessoas que estão a querer ter esse aparelho no sentido de se sentirem mais seguras, mas também para combater a solidão, nomeadamente à noite, podem contactar a central de assistência”, contextualizou.

Ainda que os idosos ainda tenham alguma resistência à instalação deste serviço e ao mundo da tecnologia, e por se sentirem “capazes”, conhecem-se já casos de eficácia do serviço de teleassistência.

Ricardo Aires (PSD) entende que o serviço de teleassistência é uma mais-valia e que deve ser reforçado. Foto: mediotejo.net

“Estes aparelhos já serviram para afugentar pessoas que não são bem-vindas às casas”, uma vez que este serviço possibilita a ligação célere às autoridades locais, nomeadamente GNR e Bombeiros de Vila de Rei.

Este serviço permite ao utente, em situações de emergência de saúde, segurança, ou solidão, contactar de imediato, através de um botão de emergência, aliado a um telefone de alta voz, que ativa os mecanismos necessários.

O serviço de Teleassistência Domiciliária HELPPHONE é um serviço de assistência permanente, baseado numa central de atendimento telefónico vocacionada para responder a qualquer situação de emergência 24 horas por dia, 365 dias por ano.

Foto: Helpphone

Enquanto complemento deste serviço, estão ainda em fase de implementação os programas “Um Amanhã mais Humano” e “Projeto 10 Mil Vidas”, inseridos na iniciativa “Portugal Inovação Social”, apresentada pela ANCS – Associação Nacional de Cuidado e Saúde e envolve misericórdias e outras instituições de solidariedade social (IPSS), bem como as unidades de cuidados na comunidade (UCC), que prestam cuidados de saúde e apoio psicológico e social de âmbito domiciliário e comunitário, enquanto estruturas locais do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

Este projeto pretende dar resposta não só a emergências, como também atuar na gestão da medicação e recolha de leituras de tensão arterial e de glucose dos idosos, apostando na telessaúde em complementaridade com o serviço de teleassistência.

Joana Rita Santos

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres, onde não falta a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Viciada no verbo Ir, nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... também por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.