Vila de Rei realiza operação de revitalização dos espaços verdes do Concelho. Créditos: CMVR

O município de Vila de Rei iniciou o processo de plantação das novas árvores e arbustos em meio urbano, no âmbito de uma candidatura de apoio à transição climática que financia a (re)arborização de espaços verdes e a criação de ilhas-sombra, entre outros.

A candidatura aprovada decorreu no âmbito do Aviso n.º 11/REACT-EU/2021 – Apoio à Transição Climática ‘Intervenções de Resiliência dos territórios face ao risco | (Re)arborização de espaços verdes e criação de ilhas-sombra em meio urbano, do programa de Assistência à Recuperação para a Coesão e os Territórios da Europa (REACT-EU).

O projeto inclui a regularização e estabilização de taludes do Vale Galego, instalação de escadaria de aceso ao loteamento Vale Galego/Bosque da Vila, aquisição e plantação de árvores e arbustos em diversos espaços verdes, aquisição de mobiliário urbano e modernização do sistema de rega, num total de 67.154,66 euros.

Com uma taxa de financiamento de 100%, a candidatura visa apoiar operações de resiliência dos territórios face ao risco, redução das vulnerabilidades do território, garantindo um modelo de maior sustentabilidade ambiental.

O objetivo é restaurar, valorizar e proteger os espaços de fruição pública, face aos riscos a que a população está sujeita, potenciados pelas alterações climáticas. A plantação de árvores é a principal forma de combate às ondas de calor e um meio natural para o arrefecimento do meio ambiente através do aumento dos espaços verdes e da criação de sombras, reduzindo os custos ambientais, sociais e económicos a longo prazo.

“As alterações climáticas constituem uma das nossas maiores ameaças ambientais, sociais e económicas que a nossa sociedade irá enfrentar”, disse o presidente da Câmara Municipal de Vila de Rei, Ricardo Aires, citado em nota de imprensa.

“Com a aprovação e implementação desta candidatura, é nosso objetivo aumentar a biodiversidade dos espaços verdes, reforçando a rearborização do espaço com novas espécies e tornando-o mais estético e paisagístico e, de certa forma, contribuir para o fortalecimento da capacidade de adaptação às alterações climáticas, uma vez que as espécies escolhidas permitem reduzir as vulnerabilidade às ondas de calor e assumem um papel fundamental na regularização microclimática, promovendo a purificação da atmosfera, o sequestro de dióxido de carbono e melhoria da salubridade do local”, realçou o autarca.

Vila de Rei inicia processo de revitalização de espaços verdes e criação de ilhas-sombra. Foto: CMVR

Paula Mourato

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *