Festa de passagem de ano em Vila de Rei é organizada pelo município e tem entradas livres. Foto: DR

O Município de Vila de Rei vai organizar uma Festa de Passagem de Ano para assinalar a entrada em 2023. A atuação de Augusto Canário & Amigos, dj´s e um espetáculo de fogo de artifício são os pontos altos de um reveillon com entrada gratuita e que promete levar muita alegria e animação ao Parque de Feiras da vila.

O evento vai decorrer na noite de 31 de dezembro, a partir das 22h30, no Parque de Feiras de Vila de Rei. O programa inclui a atuação de Augusto Canário, com um espetáculo de fogo de artifício, pela Pirotecnia Oleirense, a assinalar a meia-noite e a consequente passagem de ano. Pela noite dentro, a animação será da responsabilidade da dupla de DJs vilarregenses, MC Pinkie e DJ Seadas.

O presidente do Município de Vila de Rei, Ricardo Aires, destaca que “a festa de passagem de ano, que o Município vai organizar pela primeira vez, é a oportunidade de celebrarmos e unirmos a nossa comunidade num ambiente festivo e de alegria. Esperamos contar com uma grande adesão por parte dos vilarregenses e amigos, para uma noite de festa e muita animação.”

Recorda-se que em dezembro de 2021, a par de outros concelhos da região, o Município de Vila de Rei anunciou o cancelamento da programação de festejos para a Passagem de Ano. A decisão prendeu-se com a “evolução da pandemia da Covid-19 no território nacional, e depois de ouvir as entidades competentes em reunião do Conselho Municipal de Proteção Civil”, explicou na época o vice-presidente da Câmara Municipal, Paulo César Luís.

As festividades são de entrada livre, aberto “a toda a gente que queira vir”, afirmou Paulo César, com o Município a proceder à oferta de caldo verde e de espumante, para brindar ao ano novo.

ÁUDIO: PAULO CÉSAR LUÍS

Paula Mourato

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *