Câmara Municipal de Vila de Rei. Foto: CMVR

A Câmara Municipal de Vila de Rei aprovou, por unanimidade, apoiar mais dois empreendedores e dois produtores, no valor de 1.270,44 euros, no âmbito do regulamento Estímulos ao Investimento no Concelho de Vila de Rei. Segundo a autarquia, este apoio “surge da necessidade de estimular o empreendedorismo, criando condições favoráveis e atrativas para a criação de novas empresas e de novos postos de trabalho”.

Na última reunião de Câmara pública, na passada sexta-feira 3 de dezembro, foram aprovados dois apoios a modernização do comércio e outras atividades locais e dois apoios à plantação de árvores de oliveira galega e medronheiros grandes.

Assim no âmbito do regulamento Estímulos ao Investimento no Concelho de Vila de Rei,  o executivo aprovou apoiar a plantação de árvores, no caso 140 oliveiras galega, contando com um valor de comparticipação municipal de 551,90 euros, e também 20 medronheiros grandes, com um valor de comparticipação de 42,51 euros.

Para modernização do comércio e outras atividades locais, a Câmara aprovou apoiar a aquisição de mobiliário e equipamentos informáticos, software ou outro equipamento necessário à prossecução da atividade do promotor, numa comparticipação municipal de 228,24 euros, sendo um segundo apoio no mesmo âmbito no valor de 447,79 euros.

Refira-se que o regulamento de Estímulos ao Investimento no Concelho inclui medidas como “a isenção ou redução de taxas e preços municipais para a fixação de novas empresas ou novos investimentos em função do número de postos de trabalho criados, bonificação no pagamento de taxas e preços municipais para empresários que acolham estágios profissionais, apoios à criação de plantações (oliveiras, medronheiros, carvalhos, nogueiras, castanheiros, pinheiras mansas, aveleiras, sobreiros ou azinheiras) ou apoios às explorações agropecuárias (aquisição de animais ruminantes e apoio na construção ou reconstrução de edificações destinadas a melhorar as condições de exploração agrícola)”, entre outros.

Paula Mourato

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *