O torrejano Ricardo Batista do Clube de Natação de Torres Novas, sagrou-se no sábado campeão europeu sub-23. Foto arquivo: mediotejo.net

O Triatlo de Abrantes, uma organização da Câmara Municipal de Abrantes em parceria com a Federação de Triatlo de Portugal e o Clube de Triatlo de Abrantes, assinalou o regresso à competição após o confinamento ditado pela pandemia de Covid 19. Destaque para a vitória do atleta torrejano  Ricardo Batista, do Clube de Natação de Torres Novas, que assegurou o apuramento para o Campeonato da Europa, distância olímpica, a decorrer em Tartu, na Estónia.

O segmento de natação (750m) decorreu no Rio Tejo defronte ao Aquapólis. O ciclismo, com a distância de 18.600 metros, viu o percurso delineado na EN2 desde as Barreiras do Tejo até a Rotunda do Olival em Alferrarede, tendo como dificuldade acrescida a subida até ao Cemitério em Abrantes.

O percurso de corrida apeada foi desenhado integralmente nos arruamentos do Aquapólis Norte na distância de 4.500 metros.

Sport Lisboa e Benfica fez a dobradinha em femininos com Melanie Santos a vencer.

Antes da realização da 2ª etapa da Taça de Portugal, adiada em uma hora devido ao forte calor que se fazia sentir naquela tarde de sábado, dia 18 de julho, disputou-se uma prova de Apuramento de acesso às provas internacionais.

Num percurso igual ao da prova rainha esta prova teve como vencedora em Elites Femininas a atleta do Sport Lisboa e Benfica, Melanie Santos. Vera Vilaça, do mesmo clube secundou-a, ficando a quase dois minutos. Maria Tomé, do Outsystems Olímpico de Oeiras, fechou o pódio já a quase quatro minutos de Melanie.

Abrantes acolheu o regresso à competição.

Nas Elites Masculinos o vencedor foi o torrejano Ricardo Batista, do Clube de Natação de Torres Novas, que assegurou assim o apuramento para o Campeonato da Europa, distância olímpica, a decorrer em Tartu, na Estónia. o segundo foi Miguel Silva do Outsystems Olímpico de Oeiras a apenas sete segundos. Em terceiro, já a mais de um minuto, ficou Pedro Gaspar do Alhandra Sporting Clube.

Pelas 17H30m foi dado o tiro de partida para a prova da Taça de Portugal e os favoritos não deixaram os seus créditos por mãos alheias.

O OutSystems Olímpico de Oeiras venceu a prova masculina, enquanto o Sporting Clube de Portugal alcançou a segunda posição, seguido do Clube de Natação e Triatlo de Lisboa no terceiro lugar. A prova feminina foi ganha pelo Clube de Natação e Triatlo de Lisboa. O Alhandra Sporting Club alcançou a segunda posição e o OutSystems Olímpico de Oeiras conseguiu o terceiro lugar desta segunda etapa da Taça de Triatlo.

Helena Carvalho, do Sporting Clube de Portugal, venceu a prova feminina.

Em absolutos, Helena Carvalho, do Sporting Clube de Portugal, venceu a competição, Ana Filipa Ferreira, do Alhandra Sporting Club, foi segunda classificada, enquanto Andreia Ferrum, do Outsystems Olímpico de Oeiras, fechou o pódio geral feminino.

Em masculinos, Christophe De Keyser, do Outsystems Olímpico de Oeiras, alcançou o primeiro lugar da geral, Erwin Vanderplancke, do Sporting Clube de Portugal, ficou na segunda posição e Oliver Gorges, do Outsystems Olímpico de Oeiras, conseguiu o terceiro lugar da classificação absoluta.

Em masculinos, Christophe De Keyser, do Outsystems Olímpico de Oeiras, alcançou o primeiro lugar da geral.

Numa prova a estrear novas regras e cumprindo escrupulosamente as indicações da Direção Geral de Saúde teve uma organização brilhante satisfazendo atletas e público.
Antes do início das provas o mediotejo.net foi ouvir Vasco Rodrigues, presidente da Federação de Triatlo de Portugal:

É possível que alguns atletas não tenham alcançado os resultados expectáveis por se encontrarem sem experiência competitiva há muito tempo, sendo que este retorno às provas ajudou a tornar o real potencial na concretização de resultados. Por outro lado, depois de alguns meses sem provas, foi notória a vontade de competir, assim como o empenho no cumprimento das regras exigidas pelo momento de pandemia que atravessamos.

FOTOGALERIA:

*Com David Belém Pereira (multimédia).

Jorge Santiago

Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *