Incêndio dominado após oito horas de combate teve causa negligente. Foto: Flávio Catarino

Em declarações ao mediotejo.net, António Manuel Jesus disse que um popular estaria a cortar erva com uma máquina, situação proibida tendo em conta as condições atmosféricas, e que, alegadamente, esteve na origem de um incêndio que esta manhã estava em fase de conclusão mas que deu muito trabalho aos bombeiros e colocou as populações em sobressalto. “As autoridades policiais é que terão agora de confirmar a situação, incorrendo a pessoa responsável num ilícito criminal”, disse o comandante, deixando o alerta para que estas situações não se repitam tendo em conta os dias de muito calor que vamos ter pela frente.

ÁUDIO | ANTÓNIO MANUEL JESUS, COMANDANTE BOMBEIROS ABRANTES:

O alerta para este incêndio em Tramagal foi dado às 18:10 de quarta-feira e o incêndio foi dominado hoje às 02:00 tendo ameaçado as populações das localidades de Tramagal, Bicas, Vale de Açor e São Miguel.

No local, às 09:00, encontram-se ainda 186 operacionais, apoiados por 61 viaturas, em trabalhos de vigilância, consolidação e rescaldo. O incêndio chegou a mobilizar cerca de 400 bombeiros de corporações de vários pontos da região e nove meio aéreos.

Incêndios deflagrou em Tramagal às 18h10 com grande violência e o vento tem causado algumas projeções. Foto: Flávio Catarino

23:00 – “O incêndio ainda está em curso no flanco direito. Está a arder com alguma intensidade. Estão a ser colocados meios no terreno”, disse à Lusa fonte do Comando Distrital de Operações e Socorro (CDOS) de Santarém, pelas 23:00. Sobre o flanco esquerdo, a mesma fonte afirmou que esse “já está a ceder aos meios”, dizendo esperar que o incêndio fique totalmente dominado “até às 02:00/03:00” de quinta-feira. De acordo com o CDOS de Santarém, encontram-se no local 262 operacionais, apoiados por 79 viaturas.

22:00 – Ponto de situação no teatro de operações com o Presidente da Câmara Municipal, Manuel Jorge Valamatos, e o presidente de Junta de Tramagal, António José Carvalho

21:40 – Ponto de situação no terreno com o Comandante dos Bombeiros de Abrantes.

21h30: As chamas estão a ser combatidas por 215 bombeiros, apoiados por mais de 60 viaturas.

20:30 – Mais de 180 bombeiros, apoiados por 53 viaturas e nove meios aéreos, combatiam às 19:45 um incêndio que lavra numa zona de mato e eucaliptal em Tramagal, no concelho de Abrantes, com o vento a dificultar os trabalhos.

“Estão muitos meios no local e há mais a caminho, numa situação delicada e cujo combate está a ser dificultado pelo vento no local e por algumas projeções”, disse à Lusa, cerca das 20:00, António Manuel Jesus, comandante dos bombeiros voluntários de Abrantes.

Fonte oficial do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Santarém disse, por sua vez, que “o flanco direito do incêndio está a ceder aos meios”, que estão “a ser reposicionados”.

Ainda segundo a fonte do CDOS, “não há casas em perigo” e, apesar da desmobilização dos meios aéreos às 20:00”, o incêndio “deverá estar controlado nas próximas horas”.

Fotografia: mediotejo.net

De acordo com a página da Internet da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, o incêndio lavra desde as 18:10.

Mais de 180 bombeiros combatiam as chamas em Tramagal cerca das 20:30. Foto: Flávio Catarino

19:55 – Os meios continuam a chegar ao terreno, segundo a página da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), que regista na sua página na internet a presença de 165 bombeiros, 43 viaturas e 9 meios aéreos.

Incêndios deflagrou em Tramagal às 18h10 com grande violência. Foto: mediotejo.net

19:30 Um incêndio está a lavrar com intensidade na freguesia de Tramagal (Abrantes), tendo deflagrado às 18h10 em zona de mato. Às 19h30 as chamas estavam a ser combatidas por 133 bombeiros, apoiados por 32 viaturas e 9 meios aéreos.

VÍDEO

c/LUSA

Mário Rui Fonseca

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.