Alfredo Mota Pereira numa das últimas aparições no Comendador.

Os sócios do Tramagal Sport União, reunidos em Assembleia Geral (AG) na sexta-feira, dia 13 de abril, no Auditório da Junta de Freguesia de Tramagal, deliberaram por unanimidade e aclamação a proposta da Direção em distinguir o actual sócio nº 1, Alfredo Mota Pereira, com o título Sócio Honorário, distinção que será entregue no dia 1 de maio, dia de aniversário do clube fundado em 1922.

Assembleia foi unânime e aplaudiu de pé.

É a primeira vez que tal distinção recai num sócio do emblemático clube “metalúrgico”.

Alfredo Mota Pereira, com 91 anos, nasceu em 1927, está ligado ao clube de forma indelével. Foi o mais jovem presidente da coletividade, com apenas 18 anos, num período difícil em plena II Guerra Mundial.

Era o presidente em exercício quando o clube conquistou o primeiro título, em 1953, selado com uma goleada em Alpiarça por 5-0. Valeu o título de Campeão Distrital da 2ª Divisão da Associação de Futebol de Santarém da qual o TSU é sócio fundador. Alfredo Mota foi presidente da Mesa da Assembleia Geral desta Associação.

Luís Lopes, Presidente do TSU no uso da palavra.

Este percurso brilhante foi recordado na magna reunião pelo associado Abílio Pombinho.

O sócio Octávio Oliveira, antigo dirigente, reforçou o trabalho de excelência de Alfredo Mota, vincando a capacidade de juntar várias sensibilidades e facções dentro do clube num período pós revolucionário, em finais dos anos setenta,resultando numa meritória gestão e na sobrevivência da coletividade da borboleta.

O filho do distinguido, Joaquim Mota Pereira, em nome do pai agradeceu o gesto da direção agora ratificado pela Assembleia Geral. Os trabalhos prosseguiram com esclarecimentos aos sócios sobre a vida corrente do clube.

No final ouvimos o presidente da mesa da AG, Manuel Pio, que, emocionado, nos falou sobre o distinguido:

Manuel Pio, Presidente da Assembleia Geral do TSU.

Ouvimos igualmente o filho, Joaquim Mota Pereira, que nos deixou o seu testemunho.

Joaquim Mota Pereira, filho do distinguido.

Jorge Santiago

Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.