A Feira dos Santos de Mação realiza-se desde 1800 e é uma das maiores e mais importantes de toda a região. Foto: mediotejo.net

O evento bicentenário atrai visitantes de toda a região, oferecendo uma grande variedade de produtos, que vão dos cereais, aos hortofrutícolas, utensílios de cozinha, jardinagem ou agricultura, roupa e calçado, além dos produtos típicos da gastronomia local, nomeadamente bolos e broas da época.

A Feira dos Santos faz-se pelas ruas ao longo do centro histórico da vila, entre o Largo do Matadouro, o Largo dos Combatentes e o Largo da Feira, junto ao Museu e GNR, onde decorre habitualmente a feira franca.

Este ano a animação das ruas acontece entre as 10h00 e as 12h00 pelo grupo TOC&RODÃO, enquanto à tarde decorrerá a tradicional arruada pela Banda da Sociedade Filarmónica União Maçaense.

Recriação do Mercado Antigo na Feira dos Santos em Mação, em 2017. Fotografia: mediotejo.net

Criada em 1800 – e sendo, por isso, a mais antiga do concelho e uma das mais conhecidas da região, sobretudo pela variedade de produtos que oferece –, surgiu pela provada falta que fazia a Mação e aos concelhos vizinhos. Afirmou-se de tal forma que, mais de dois séculos depois, continua a ser uma das maiores e a sua realização uma das mais ansiadas.

Recorda o município, que em decreto de 4 de setembro de 1800, concedia o reino a provisão para a criação de uma feira em Mação: “Faço saber que os moradores da Vila de Mação Me pediam fosse servido conceder-lhes uma licença para poderem ter feira nos dias primeiro, segundo e terceiro de Novembro de cada ano. Hei por bem conceder aos suplicantes a necessária faculdade para terem uma feira na sobredita Vila de Mação”.

Foto: CMM

A feira veio suplantar as necessidades da comunidade do concelho e região, sendo que a 1 de novembro permitia que as famílias se abastecessem e se preparassem para o Inverno, enchendo as arcas e despensas com cereais, feijão, grão, milho e frutos secos, e comprando ferramentas e materiais agrícolas para o cultivo das terras.

Hoje em dia, apesar da comodidade de uma ida ao hipermercado ou outros mercados mais modernos, ainda há quem privilegie a compra destes produtos na Feira dos Santos, juntamente com a escolha dos panos, as escadas e outros utensílios a tempo da apanha da azeitona, bem como árvores de fruto e outras que se adaptem à época.

Sendo Dia de Todos os Santos, e cumprindo a tradição secular, também é comum as crianças virem com as suas famílias até à vila, e pelas ruas, de sacola, irem pedindo os “Bolinhos Santinhos”.

Foto: CMM

Em 2000, quando se comemoraram os 200 anos do certame, a Câmara Municipal de Mação apostou num espaço de reconstituição histórica da Feira com elementos trajados à época, animação por grupos de rua, bandas e ranchos folclóricos, no Largo dos Combatentes, junto ao Cineteatro e à Câmara Municipal.

Desde essa altura, as associações e instituições do concelho foram convidadas a utilizar aquele espaço, e também as escolas se aliaram à iniciativa, promovendo, junto com as famílias dos alunos, a venda de produtos agrícolas, doçaria tradicional da época e outros produtos naturais e caseiros apreciados pelo público.

Joana Rita Santos

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres, onde não falta a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Viciada no verbo Ir, nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... também por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *