Gonçalo Ribeiro Telles Foto: Sul Informação

A Assembleia Municipal de Torres Novas aprovou por unanimidade, na sessão de quarta-feira, 25 de novembro, um voto de pesar ao arquiteto e político Gonçalo Ribeiro Telles. Seguiu-se um minuto de silêncio. A proposta partiu da mesa da assembleia, pelo presidente José Trincão Marques (PS).

Gonçalo Ribeiro Telles faleceu a 11 de novembro. Esteve envolvido na política desde 1974, tendo estado na criação da primeira Lei de Bases do Ambiente. Teve uma carreira na função pública ligada à ecologia e à arquitetura paisagística, sendo um dos seus projetos mais marcantes o jardim da Fundação Calouste Gulbenkian. Fundou o Movimento dos Monárquicos Independentes e o Movimento o Partido da Terra.

O arquiteto e político recebeu vários prémios e homenagens ao longo da vida, tendo sido agraciado em 2017 com a Grã-cruz da Ordem do Infante D.Henrique.

“O arquiteto Gonçalo Ribeiro Telles foi um verdadeiro visionário, um mestre e poeta da paisagem, um homem com uma visão antes do seu tempo, incansável defensor das cidades ecológicas e dos valores do ambientalismo”, conclui o voto de pesar.

Após a leitura do texto, realizou-se um minuto de silêncio.

Cláudia Gameiro

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.