António Nobre substituiu Quaresma de Oliveira na sessão Foto: mediotejo.net

O vereador António Nobre (PSD), em substituição de João Quaresma de Oliveira, apresentou na reunião camarária pública de 23 de julho, terça-feira, uma proposta para que o município adopte um conjunto de medidas que tornem a realização de eventos pelo concelho mais sustentáveis e amigos do ambiente.

“Ao longo de todo o mandato autárquico, com especial incidência no período de verão, tendo como objetivo um conjunto de isenções relativas às diversas festas de verão das coletividades, clubes e associações, chegam a este executivo pedidos de isenções. Nada contra, pelo contrário. São as forças vivas da sociedade, o pulsar da sociedade civil no que ela tem de mais genuíno e caraterístico”, começou por enquadrar.

O vereador constatou porém que “recorrentemente ficam, semanas, meses, anos por vezes, os cartazes plásticos que publicitam as festas espalhados pelo concelho, nas árvores e nos postes. Quem coloca pode e deve retirar”.

Por outro lado, no que respeita às festas, “deve a Câmara definir um conjunto de ações necessárias a implementar, como por exemplo replicar o que ocorreu nas festas da Cidade, com pontos de recolha de copos de plástico. Ou até incentivar o uso de copos reutilizáveis. São inúmeras as medidas que se podem aplicar, e para além de solicitar às diversas organizações a implementação de medidas, ser a própria Câmara mais pró-ativa elaborando um «caderno», um manual de boas práticas a fornecer às diferentes organizações”, propôs.

Em conclusão, o PSD deixou como proposta que “a Câmara, através dos técnicos competentes na área, crie um documento a fornecer com sugestões de medidas a implementar, no sentido de promover e apoiar eventos sustentáveis, que pretendam alargar hábitos ambientais adequados; a criação de um dístico a atribuir pelas organizações que se distingam na promoção de hábitos sustentáveis, como evento + amigo do ambiente; consagrar as eventuais isenções e apoios ao cumprimento de alguns pressupostos mínimos definidos”.

Cláudia Gameiro

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.