Pormenor do cartaz.

A exposição “José Vassalo. Um mausoléu singular”, uma iniciativa do município de Torres Novas em conjunto com a família de José Vassalo, vai estar patente ao público na Praça do Peixe entre 26 de março e 26 de junho, com mais de setenta trabalhos do artista.

A mostra é comissariada por Raquel Henriques da Silva e Margarida Elias, membros integrados do Instituto de História da Arte (FCSH-UNL), que se dedicaram nos últimos meses ao estudo da obra do artista. Conforme refere nota de imprensa, sendo o Museu Municipal Carlos Reis detentor de um vasto conjunto de obras da autoria de José Vassalo que ascendem a mil trabalhos, recebido por doação do legatário do artista em 2016 e 2017, foi finalmente possível estudar a sua obra, tendo contado para isso com o apoio da família de José Vassalo.

A inauguração da exposição decorre no sábado, dia 26 de março, às 16h00, altura em que será lançado o estudo “José Vassalo (1944-2016). Retrato de um pintor na sua torre de marfim”, edição do Município de Torres Novas e da autoria de Margarida Elias. A exposição fica patente no Mercado do Peixe até 26 de junho, podendo ser visitada de segunda a sexta-feira, das 9h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30, e aos sábados e domingos das 14h00 às 18h00. A entrada é gratuita.

José Vassalo Pereira (Lisboa, 14.03.1944 – 30 .04.2016), doutorado em matemática pela Universidade de Paris, foi professor catedrático da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, ao mesmo tempo que dirigiu as empresas familiares em Torres Novas e Torres Vedras. Mostrando desde criança grande aptidão para o desenho, com predileção para o tema dos cavalos, foi discípulo de Raquel Roque Gameiro e do pintor Guilherme Filipe.

“A sua atividade como pintor desenvolveu-se sobretudo a partir de 1981. Vassalo dividiu a sua obra em séries (retratos, músicos, cavalos, paisagens e outros), com assuntos retirados da realidade vistos sob uma abordagem de cariz clássica, inspirada pela arte do Renascimento (especialmente veneziano, que ele muito admirava). Nesta exposição surgem vários trabalhos exemplificativos da grande qualidade estética que atingiu, como é o caso dos quadros do ciclo dos Músicos dos Cavalos e os retratos”, refere a autarquia.

Rafael Ascensão

Licenciado em Ciências da Comunicação e mestre em Jornalismo. Natural de Praia do Ribatejo, Vila Nova da Barquinha, mas com raízes e ligações beirãs, adora a escrita e o jornalismo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.