'Juntos Pela Paz' levou 'mancha' branca de cinco mil pessoas até ao Jardim das Rosas. Foto: mediotejo.net

O evento começou com a inauguração do Dado da Paz no Jardim das Rosas, na manhã de quinta-feira, ao que se seguiu uma caminhada que envolveu uma grande operação logística – com reajustes de trânsito, através da ajuda da PSP e da Proteção Civil – e que ligou o Almonda Parque ao Jardim das Rosas, percurso encabeçado pelos autarcas da região que seguraram uma tarja onde se lia “Juntos Pela Paz”.

Foto: mediotejo.net

Paulo Santos, da Living Peace de Torres Novas, disse ao nosso jornal que esta iniciativa visou aproveitar uma união entre o início do ano escolar e a celebração do Dia Internacional da Paz (21 outubro) para “fazer aqui uma grande ação, em favor da paz, uma ação pedagógica, com as camadas juvenis, de todas as escolas, também com outras instituições, no fundo, tentar de ser uma oportunidade de dizer a todas estas pessoas como é que se constrói a paz”.

“No fundo é lançar aqui o desafio, para outras instituições, para outras escolas, para outros concelhos, para o país, no momento em que vivemos, em que a paz é tão essencial”, disse ainda Paulo Santos, ladeado por Carlos Palma, fundador da Living Peace Internacional, que marcou presença em Torres Novas.

O evento, cuja primeira edição decorreu em 2019 e juntou cerca de 2600 pessoas, viu a sua dimensão ser aumentada uma vez que associou outros municípios para além do de Torres Novas e Vila Nova da Barquinha – já presentes na última edição – incluindo agora também Golegã, Alcanena e Almeirim.

O líder deste movimento pela paz em Torres Novas disse esperar que este dia ficasse “marcado no coração de cada pessoa (…) como uma semente de paz, que possa depois crescer e desenvolver na vida de cada um”, acrescentando que a iniciativa que foi desenvolvida em Torres Novas poderá, noutros anos, ser desenvolvida noutros concelhos.

Já no Jardim das Rosas, ao longo do qual se estendeu uma grande moldura humana de branco vestido, seguiram-se momentos de animação cultural e de pequenas intervenções de diversos associados do evento.

Elvira Sequeira, vereadora do município torrejano, destacou que educar pela paz é “fundamental”, consistindo “naquilo que nos permite viver em conjunto em comunidade da melhor forma”:

Fazendo menção à situação de guerra vivenciada na Ucrânia, a autarca enalteceu ainda mais a importância da educação para a paz, principalmente das crianças e jovens, mas também de toda a comunidade, para se evitarem situações de conflito, algo que é possível através de conhecimento e do exemplo.

“E é isso que nós fazemos e isto é um exemplo do que temos de fazer todos pela situação que vivemos nos dias de hoje, mas que importa sempre esclarecer que não é uma opção. Há sempre palavras, há sempre o diálogo, há sempre a existência em conjunto que tem de ser fomentada de forma pacífica, e é isso que temos de traduzir para estas comunidades – e temos aqui várias comunidades que fazem parte de um todo (…) – e é isso que importa realçar, continuamos a viver em conjunto, mas pacificamente e [é preciso] ensinar isso, dando o exemplo aos mais jovens”, disse Elvira Sequeira.

A autarca enalteceu ainda o trabalho conjunto entre diversas pessoas de vários municípios para a realização de um evento desta amplitude e participação, algo que “não é a primeira vez nem será a última”, numa iniciativa que deve também servir de exemplo.

Rafael Ascensão

Licenciado em Ciências da Comunicação e mestre em Jornalismo. Natural de Praia do Ribatejo, Vila Nova da Barquinha, mas com raízes e ligações beirãs, adora a escrita e o jornalismo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.