Créditos: Frusel

Com sede na localidade de Liteiros, Torres Novas, onde se instalou em 2011, a fabricante portuguesa de frutos secos, aperitivos e sementes, foi adquirida em dezembro de 2022 pela cooperativa agrícola gaulesa Ocealia, avança o Jornal de Negócios (JN).

“Em dezembro de 2022, o grupo Ocealia-Soficor adquiriu a maioria do capital da Frusel e iniciaram uma relação de confiança de longo prazo, baseada na gestão histórica das empresas e dos seus directores”, anunciou a empresa em comunicado, citado pelo JN, esta segunda-feira, 2 de janeiro.

De acordo com a mesma informação, a passagem da empresa para mãos francesas, tem como principais objetivos “a ativação de potenciais sinergias, compartilhando capacidades e conhecimentos da indústria e aumentar os negócios internacionais”.

Créditos: Frusel

Desde a sua fundação, em 2001, e com a incrementação do negócio com as novas instalações de Torres Novas (2011), tem-se assistido a um crescimento contínuo e sustentado da marca, que no seguimento da sua estratégia de crescimento, revela ter surgido “a oportunidade da contribuição de um novo parceiro (Ocealia-Soficor)”, adiantando que “a Soficor integra, há cerca de três anos, a cooperativa agrícola francesa Ocealia.”

A Soficor, criada pela família Cormouls’Houles em 1987, “especializou-se na transformação e comercialização de produtos alimentares inspirados na amizade do ‘apetitif’ com as suas marcas Menguy’s, Brut de Coques, Menguy’s Ingredients e Barnier Olives”, menciona a empresa.

Sediado em Toulouse, o grupo agroalimentar detém fábricas em Mazamet (de frutos secos, manteiga de amendoim e ‘snacks’) e em Frontignan (azeitonas e cremes para barra), abastecendo retalhistas e grossistas em França, Europa, Médio Oriente e América do Norte.

A Frusel “emprega 40 pessoas e fatura cerca de 15 milhões de euros” revelou ao JN fonte oficial da empresa.

Carla Paixão

Natural de Torres Novas, licenciada em jornalismo, apaixonada pelas palavras e pela escrita, encontrou na profissão que abraçou mais do que um ofício, uma forma de estar na vida, um estado de espírito e uma missão. Gosta de ouvir e de contar histórias e cumpre-se sempre que as linhas que escreve contribuem para dar voz a quem não a tem. Por natureza, gosta de fazer perguntas e de questionar certezas absolutas. Quanto ao projeto mais importante da sua vida, não tem dúvidas, são os dois filhos, a quem espera deixar como legado os valores da verdade, da justiça e da liberdade.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *