Foto: Escola Profissional de Torres Novas EPTN

Foi no dia 1 de abril que a Escola Profissional de Torres Novas (EPTN) realizou uma vez mais o seu sarau e cerimónia de entrega de diplomas, após dois anos de interregno devido à pandemia. A cerimónia teve lugar no Teatro Virgínia e foi marcada pela entrega de diplomas e momentos de entretenimento.

Conduzida por cinco alunos finalistas, a cerimónia contou com a atribuição dos diplomas aos alunos finalistas dos triénios 2017/2020 (Animador/Gestão/Gestão e Programação de Sistema Informáticos/Turismo) e 2018/2021 (Animador/Gestão/Gestão de Equipamentos Informáticos/Turismo), tendo ainda distinguido os alunos EPTN – Empreendedores/ Participativos/Trabalhadores e Notáveis, que integraram o quadro de valor nos dois últimos anos letivos.

Para além do quadro de valor, que reconhece os alunos EPTN, a escola torrejana premiou ainda os alunos que obtiveram uma média superior a 16 valores no final do curso, e que integram assim o quadro de excelência. Assim sendo, e na sequência do protocolo estabelecido entre a EPTN e a Caixa de Crédito Agrícola do Ribatejo Norte e Tramagal, João Gonçalves (aluno do Curso Técnico de GEI, que obteve a melhor média do ciclo formativo 2018/2021) foi distinguido, com um prémio monetário de 500 euros.

Foto: Escola Profissional de Torres Novas

Também os alunos que realizaram estágio de pós-graduados em empresas na Irlanda, Alemanha e Bilbao, através do Erasmus+ – uma “aposta forte” da EPT que “todos os anos, sob a forma de estágios, propicia aos seus alunos momentos de descoberta, aprendizagem e experiências únicas”, conforme é referido em comunicado – receberam os seus diplomas.

Tendo em conta que a EPTN engloba também um Centro Qualifica, os adultos que concluíram o seu processo de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências, foram igualmente reconhecidos, obtendo uma certificação escolar de nível básico ou de nível secundário.

A EPTN reconheceu também o trabalho dos alunos do 3.º ano de Comunicação, vencedores do 1.º lugar do concurso “Gentes e Lugares”, conquista alcançada através do filme sobre as diversas facetas do torrejano Hélder Dias e da sua relação com os “lugares” que marcaram a sua vida.

A EPTN reconheceu, igualmente, o profissionalismo, dedicação e compromisso de uma das suas mais antigas colaboradoras, Ana Dias, que se reformou em novembro passado.

Foto: Escola Profissional de Torres Novas.

Estes momentos de reconhecimento e condecorações foram intervalados com projeções, momentos musicais, de dança e de comédia, protagonizados por alunos da escola, nomeadamente do 1.º, 2.º e 3.º anos de Animador Sociocultural e pelas interpretações dos alunos do 3.º de Turismo, Miriam Correia e Ricardo Alves, sob coordenação das professoras Ana Carla Ferreira, Cátia Freitas, Liliana Redol e Susana Nunes.

“Esta cerimónia teve um sabor especial, na medida em que se celebram os 30 anos da EPTN. O ano letivo 1991/1992 marcou o início de um projeto educativo inovador, que se foi afirmando como uma escola apostada no desenvolvimento integral dos seus alunos, aliando a formação teórica a uma forte componente prática, e na criação de elos com as instituições e empresas da região, visando aproximar a realidade escola/mercado de trabalho. Parabéns, EPTN, por 30 anos de uma história plena de aprendizagens, vivências e experiências diferenciadoras, partilhas e afetos”, escreve a Escola Profissional de Torres Novas em comunicado.

“Um reconhecido agradecimento a todos aqueles que, ao longo de 30 anos, ajudaram a concretizar o projeto EPTN e que escreveram algumas páginas da sua história (alunos e encarregados de educação, corpo docente e não docente, diretores e parceiros de formação)”, conclui. 

Rafael Ascensão

Licenciado em Ciências da Comunicação e mestre em Jornalismo. Natural de Praia do Ribatejo, Vila Nova da Barquinha, mas com raízes e ligações beirãs, adora a escrita e o jornalismo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.