Foto ilustrativa: mediotejo.net

A CDU (Coligação Democrática Unitária) de Torres Novas considera que muitas das agregações de freguesias feitas em 2013 não foram benéficas, pelo que defende a desagregação das uniões de freguesias torrejanas. “Não será nem por falta de vontade política e nem por falta da ação da CDU que não serão revertidas, no concelho de Torres Novas, decisões de união de freguesias que, na prática, não se revelaram capazes que satisfazer os legítimos anseios das populações envolvidas”, afirma a CDU, em comunicado.

Na mesma nota informativa, e referindo que o processo de agregação de freguesias “em muitos casos, mereceu contestação das populações e dos seus órgãos autárquicos democraticamente eleitos”, a Comissão Coordenadora Concelhia de Torres Novas da CDU afirma que a união de freguesias “não resultou em benefício para as populações nem para a gestão dos novos territórios assim criados”.

A CDU de Torres Novas elenca ainda várias desvantagens destas agregações como a de que não trouxe ganhos financeiros, alargou desnecessariamente os territórios geridos pelas Juntas de Freguesia sem lhes proporcionar os meios tidos como indispensáveis para tal, dificultou ou obstaculizou o acesso das populações a alguns serviços, gerou uma perda substancial de representatividade nos órgãos autárquicos das freguesias, tornou mais difícil a pretendida proximidade e ligação dos eleitos com as populações que
representam.

“Todos estes fatores contribuíram para uma maior dificuldade na resolução de alguns dos problemas com que se defrontam estas freguesias. Desde sempre a CDU se opôs a esta junção administrativa de freguesias, que foi desenhada sem ter em conta a vontade das populações. Por isso, assumiu o compromisso de lutar pela sua reposição desde que fosse essa a vontade das populações envolvidas”, lê-se no comunicado enviado ao nosso jornal.

“A Lei nº39/2021, apesar de tardia e limitada, permite a reposição das freguesias respeitando as condições em que as mesmas foram agregadas anteriormente. Assim, e sendo conhecidas no concelho de Torres Novas diversas tomadas de posição que apontam no sentido do descontentamento ou do desencanto gerado pela atual situação, a CDU manifesta o seu apoio às iniciativas que venham a ser desenvolvidas no âmbito da reposição de freguesias”, revela-se ainda no documento.

A CDU considera que um processo com estas características deve contar com um consenso o mais alargado possível, e a disponibilidade das diferentes forças políticas concelhias.

“A CDU espera que essas disponibilidades se consubstanciem, na representação que as mesmas detém nos órgãos autárquicos do concelho, e ajudem a dar, em conjunto, os passos necessários para que, de forma concertada, se possam reverter tais situações, desde que seja essa a vontade das populações em causa”, conclui.

Rafael Ascensão

Licenciado em Ciências da Comunicação e mestre em Jornalismo. Natural de Praia do Ribatejo, Vila Nova da Barquinha, mas com raízes e ligações beirãs, adora a escrita e o jornalismo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *