Pela segunda vez, uma munícipe interveio na reunião de câmara de Tomar, onde se pronunciou sobre os perigos de um monte de lenha que se encontra junto à sua casa, no terreno de um vizinho, em Barreira. Segundo a mesma, já por duas vezes contactou a GNR, a qual informou que não havia motivo para contra-ordenação. Também contactou a Proteção Civil que lhe deu semelhante resposta.

A munícipe fez esta intervenção esperando uma tomada de posição por parte da câmara, tendo Anabela Freitas, presidente da autarquia, explicado que, segundo informação dos serviços, “o monte de lenha cumpre a faixa cimentada que é exigido e serve para consumo próprio da pessoa em questão”.

De qualquer forma, acrescentou ainda que a autarquia não pode atuar sem reunir com a Comissão de Defesa Municipal da Floresta.

Elsa Ribeiro Gonçalves

Aos 12 anos já queria ser jornalista e todo o seu percurso académico foi percorrido com esse objetivo no horizonte. Licenciada em Jornalismo, exerce desde 2005, sempre no jornalismo de proximidade. Mãe de uma menina, assume que tem nas viagens a sua grande paixão. Gosta de aventura e de superar um bom desafio. Em maio de 2018, lançou o seu primeiro livro de ficção intitulado "Singularidades de uma mulher de 40", que marca a sua estreia na escrita literária, sob a chancela da Origami Livros.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.