Dez idosos foram encontrados pela GNR de Tomar numa garagem sem condições de habitabilidade na localidade de Linhaceira, freguesia de Asseiceira, após o lar onde se encontravam, na localidade de Macieiros, freguesia de São Pedro, ter sido mandado encerrar pelo Tribunal. Terão ali permanecido cerca de uma semana.

O caso foi avançado na edição desta terça-feira, 31 de janeiro, pelo jornal Correio da Manhã.  Contactado pelo mediotejo.net, o vereador da Acão Social da Câmara de Tomar, Hugo Cristóvão (PS) refere que já tinham conhecimento da notificação feita ao lar mas desconheciam por completo a situação da garagem, salientando que “o município tem uma competência muito diminuta nestas situações”. O presidente da Junta de Asseiceira, Carlos Rodrigues não quis fazer quaisquer comentários uma vez que também foi surpreendido pela situação.

A queixa foi feita na GNR, no passado fim-de-semana, por um dos familiares dos idosos que foi visitar o familiar e verificou que não havia as mínimas condições de habitabilidade ou segurança. Outra familiar disse que retirou o pai daquele espaço após o ter encontrado com um hematoma na cabeça. Pagava 600 euros mensais. Feita a denúncia, a GNR deslocou-se à Linhaceira e levantou um auto de notícia, tendo a proprietária sido identificada e fotografada. “Parecia uma caserna, com camas todas ao lado umas das outras”, contou uma fonte da GNR ao mediotejo.net.

Citada pelo Correio da Manhã, a proprietária acabou por admitir que as condições não eram as mais adequadas mas que “não ia pôr os utentes na rua depois de a segurança social lhe ter fechado o lar”. De acordo com o apurado, a mesma já tinha sido notificada pela Segurança Social devido à falta de alvará, que tornava este num lar clandestino.

Quando recebeu a notificação do Tribunal de Santarém, procedeu à mobilização dos idosos para uma garagem na Linhaceira, freguesia da Asseiceira. Nestes casos, os idosos foram reencaminhados para as famílias ou para as respostas sociais alternativas. O caso está agora nas mãos da Segurança Social e do Ministério Público.

Elsa Ribeiro Gonçalves

Aos 12 anos já queria ser jornalista e todo o seu percurso académico foi percorrido com esse objetivo no horizonte. Licenciada em Jornalismo, exerce desde 2005, sempre no jornalismo de proximidade. Mãe de uma menina, assume que tem nas viagens a sua grande paixão. Gosta de aventura e de superar um bom desafio. Em maio de 2018, lançou o seu primeiro livro de ficção intitulado "Singularidades de uma mulher de 40", que marca a sua estreia na escrita literária, sob a chancela da Origami Livros.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.