Foto: Facebook CM Tomar

A Câmara de Tomar enviou na tarde de domingo o seu autocarro municipal para Cracóvia, na Polónia, de forma a recolher 50 pessoas, pretendendo deste modo contribuir para o esforço mundial no acolhimento de refugiados da Ucrânia. Em Tomar estão a ser acauteladas as medidas necessárias para proceder a este acolhimento, nota a autarquia. 

Segundo informação dada por Anabela Freitas (PS), presidente da autarquia tomarense, durante a reunião de Câmara desta segunda-feira, dia 7 de março, entre os 50 cidadãos que vão ser trazidos no autocarro da autarquia, existe apenas um homem entre a listagem fornecida pelo Governo de pessoas a transportar, pelo que os restantes elementos do grupo é composto por mulheres e crianças.

Na reunião, e sobre esta “Operação Ucrânia” – conforme a designou a autarca – Anabela Freitas deu ainda nota de que, à data em que a sessão foi realizada, ainda não se sabia se todas as 50 pessoas vão para Tomar, mas que as preparações estão a ser feitas nesse sentido, em primeiro lugar, em termos de saúde, para fazer teste Covid e um exame geral de saúde, assim como analisar e tratar a questão da vacinação destes refugiados.

A presidente do município referiu ainda que estão a decorrer conversações com as escolas, de modo a que haja uma integração rápida, bem como está a ser feita uma articulação com o IEFP (Instituto do Emprego e Formação Profissional), de modo a que rapidamente se criem cursos de língua portuguesa para os cidadãos que sejam acolhidos. 

Já a caminho da cidade templária, tal como deu nota Anabela Freitas, estão sete cidadãos ucranianos (duas mães, três crianças, uma avó e um neto), os quais estão em viagem desde quinta-feira. Para estes cidadãos já está garantida habitação.

Lurdes Fernandes, vereadora do PSD, tomou a palavra durante a reunião de forma a dar a conhecer a disponibilidade da vereação do PSD para se associarem a esta operação, de forma a contribuir para esta operação.

Anabela Freitas agradeceu a disponibilidade e referiu que a maior dificuldade se prende com a questão da habitação, pelo que solicitou o apoio dos vereadores no que toca à sinalização de possíveis habitações para acolhimento, enquanto que, paralelamente, está a ser articulado com a comunidade ucraniana, a criação de linhas de atuação.

O grupo que seguiu no autocarro para a Polónia para trazer os 50 refugiados, é composto por dois motoristas e um bombeiro, todos funcionários do município, (António Cerejo, Pedro Almeida e Marco Alves), e ainda por Tarás Kulyk, da comunidade ucraniana de Tomar.

Rafael Ascensão

Licenciado em Ciências da Comunicação e mestre em Jornalismo. Natural de Praia do Ribatejo, Vila Nova da Barquinha, mas com raízes e ligações beirãs, adora a escrita e o jornalismo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.