DR

O município de Tomar vai assumir, através dos Serviços municipalizados, o aumento de 20% no valor da taxa de gestão de resíduos (TGR), de modo a que não haja repercussões nas faturas dos municípes.

A CM Tomar vai assim suportar o encargo que orçará os 32 mil euros, solução encontrada para libertar os munícipes deste aumento.

A TGR, que anteriormente incidia sobre 30% dos resíduos enviados para aterro, passa a incidir sobre 50% em virtude de nova legislação europeia, tendo por isso a Resitejo feito esta alteração desde o mês de julho.

Segundo a autarquia, o argumento daquela entidade é “de que a situação se alterou este ano com o desvio para aterro de resíduos que antes seguiam para reciclagem”.

A TGR incide sobre as entidades responsáveis pelos serviços de gestão de resíduos, tendo por objetivo refletir nos produtores e utilizadores os custos administrativos de acompanhamento da atividade e incentivar a redução da produção de resíduos, lê-se na nota de imprensa.

Nos termos da Lei e conforme recomendação da ERSAR, esta taxa deve ser repercutida nas tarifas cobradas aos utilizadores finais dos serviços de recolha, transporte e tratamento de resíduos urbanos, devendo estes valores estar devidamente desagregados nas faturas.

 

Joana Rita Santos

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres, onde não falta a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Viciada no verbo Ir, nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... também por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *