Foto arquivo: CMT

Os focos de poluição que têm vindo a ocorrer no rio Nabão foram tema da reunião do executivo de Tomar. Na sessão que decorreu esta segunda-feira, o vereador do PSD, Tiago Carrão, dirigiu-se ao presidente da Câmara, Hugo Cristóvão (PS) para mostrar o seu desagrado para com a situação. Em resposta, o presidente da autarquia afirmou que a questão da poluição no Nabão é um “tema que nos preocupa a todos”.

“Infelizmente o rio Nabão continua a estar poluído. Já hoje lá passei e se voltava a ver aquelas manchas de poluição que a qualquer um de nós nos desagrada”, começou por referir. Para o vereador social democrata, o rio Nabão é um “tema muito caro” para todos os tomarenses, pelo que reforçou o repto de que “possa ser feito mais pela defesa do nosso rio e que seja pegada esta ‘bandeira’ com uma garra diferente, porque especialmente nos últimos anos não vimos isso”, afirmou.

Tiago Carrão fez saber que os deputados do PSD eleitos pelo círculo de Santarém estiveram recentemente em Tomar para visitar e ter conhecimento da situação. “Ficaram com a missão que cumprirão agora junto do ministro do Ambiente e da Ação Climática, de fazer chegar o assunto em sede do Orçamento do Estado para 2024”, indicou.

ÁUDIO | Tiago Carrão, vereador eleito pelo PSD na autarquia tomarense

O vereador do PSD na Câmara de Tomar deixou um “repto” à governação socialista, para que faça “tudo o que estiver ao seu alcance para resolver este problema que nos atormenta há tempo de mais”.

Em resposta, o presidente da autarquia tomarense começou por referir que a questão da poluição no Nabão um “tema que nos preocupa a todos” e relembrou o que tem vindo a ser referido em reuniões anteriores.

“Nós temos tendência para acusar um só culpado, mas ainda ontem foi notório, a União de Freguesias de Casais e Alviobeira veio publicamente alertar para algo que eu próprio também já referi ao longo dos tempos. Como sabemos, a poluição é toda ela vinda a montante de Tomar, portanto, vem de outros concelhos e, neste caso, também do concelho de Ferreira do Zêzere”, sublinhou.

Foto: CMT

Hugo Cristóvão referiu que a situação é agora mais notória na Ribeira de Ceras, onde têm vindo a ser realizados trabalhos de limpeza. “Este ano a ribeira foi um dos espaços contemplados e, portanto, agora é ainda mais visível essas claras manifestações de poluição que vêm também do concelho de Ferreira do Zêzere”, indicou.

Tendo em conta que os focos de poluição acontecem fora do território tomarense, “quase na totalidade dos casos”, as ações da autarquia encontram-se limitadas à realização de apelos junto das entidades competentes, nomeadamente à “Tejo Ambiente que tem aqui uma parte no que diz respeito à ETAR, mas depois à GNR, ao Sepna, à APA, que têm de intervir nesse outros focos”.

ÁUDIO | Hugo Cristóvão, presidente da Câmara Municipal de Tomar

Hugo Cristóvão acrescenta ter conhecimento de que alguns dos focos já se encontram identificados, mas sublinha a continuidade dos mesmos e um trabalho a ser feito no que diz respeito ao combate à poluição no rio Nabão, “particularmente em dias em que o caudal é mais elevado e portanto alguém aproveita para fazer despejos”, concluiu o edil.

Recorde-se que as recorrentes descargas poluentes no rio Nabão se fazem notar há muitos anos e têm levado a inúmeras manifestações, queixas, e moções por parte dos partidos com assento na Assembleia Municipal, além dos sucessivos alertas às autoridades competentes.

A Agência Portuguesa do Ambiente já havia identificado, em 2017, cerca de 11 focos de poluição a montante do rio, entre os quais indústrias agro-alimentar e pecuárias, além da polémica ETAR de Seiça, que serve o concelho de Ourém, e que as autarquias já admitiram não ter a capacidade devida para tratamento das águas e necessitar de intervenções de correção.

Foto: Américo Costa/Aqua Tomar

Atualmente a frequentar o Mestrado em Jornalismo na Universidade da Beira Interior. Apaixonada pelas letras e pela escrita, cedo descobri no Jornalismo a minha grande paixão.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *