Parque infantil Traquinas do Nabão foi alvo de atos de vandalismo. Créditos: mediotejo.net

“Têm existido vários episódios de vandalismo em vários tipos de equipamentos públicos ao longo dos últimos tempos”, fez saber Hugo Cristóvão (PS), vereador e vice-presidente da Câmara Municipal de Tomar, que acrescentou que um dos últimos episódios causou estragos na ordem dos 10 mil euros no parque infantil “Traquinas do Nabão” e que muitos dos atos de vandalismo são praticados nas árvores da cidade.

“Acho que é importante de quando em vez sublinharmos isto publicamente, até como forma de apelar ao civismo, não há muitas formas de podermos resolver estas matérias, porque não é possível haver um polícia a cada esquina, mas ainda assim, de quando em vez, acho importante fazermos esta nota”, começou por dizer o autarca em reunião de executivo, onde denunciou vários episódios de vandalismo.

Hugo Cristóvão, vereador da CM de Tomar, sobre os episódios de vandalismo na cidade.

Referindo que estes atos de vandalismo acontecem com vários equipamentos, desde parques infantis, contentores, abrigos urbanos ou sinalização, Hugo Cristóvão deu depois um exemplo, “um dos mais recentes” para se “ter a noção da dimensão dos custos”, onde a reparação dos danos no parque infantil, em “números redondos”, deve ficar em dez mil euros.

“Estamos a falar de um escorrega danificado, umas cordas de um dos outros aparelhos, coisas teoricamente simples, mas que obviamente não foram feitas por quem utiliza o parque ou quem deve utilizar o parque, não são as crianças até 10/12 anos de idade que têm peso ou força para fazer esses danos, portanto naturalmente tem a ver com vandalismo, tem a ver com utilização indevida dos equipamentos, e portanto tem a ver com civismo ou a falta dele”, disse o edil.

Referindo que sempre que há danos, é o orçamento municipal, “ou seja o orçamento de todos os tomarenses que é colocado em causa”, Hugo Cristóvão afirmou que além disso existe igualmente o prejuízo do tempo em que o equipamento fica inoperacional.

Mais tarde o vereador deu ainda a conhecer que um dos atos de vandalismo que mais acontece na cidade nabantina incide sobre as árvores.

“Os serviços municipais são muito criticados sempre que há alguma intervenção nalguma árvore – quando acontecem é porque tem de acontecer, seja a poda, seja nalguns casos mesmo de corte, e naturalmente feito por equipas que são profissionais – mas infelizmente muito mais do que isso é aquilo que acontece sistematicamente de vandalismo ou mesmo de destruição completa de árvores no espaço urbano da cidade”, relatou o vice-presidente da autarquia.

Rafael Ascensão

Licenciado em Ciências da Comunicação e mestre em Jornalismo. Natural de Praia do Ribatejo, Vila Nova da Barquinha, mas com raízes e ligações beirãs, adora a escrita e o jornalismo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *