Foto: DR

O Serviço de Metrologia da Câmara Municipal da Sertã foi reconhecido pelo Instituto Português da Qualidade, da responsabilidade do funcionário Carlos Miguel, levando a que fosse aceite a proposta para o serviço ser alargado a dez concelhos, entre os quais Castanheira de Pêra, Figueiró dos Vinhos, Góis, Lousã, Miranda do Corvo, Oleiros, Pampilhosa da Serra, Pedrógão Grande, Proença-a-Nova e Vila de Rei. O município vai contratar um segundo funcionário para garantir a prestação do serviço.

Para o presidente da CM Sertã, José Farinha Nunes, este é um “reconhecimento de que o serviço de metrologia da Câmara tem qualidade”, fazendo referência na passada reunião ordinária ao técnico Carlos Miguel, responsável pelo serviço.

“Todos os anos o serviço de metrologia da Câmara é fiscalizado, tem tido bons resultados”, fez notar.

“Fico satisfeito porque reconhecem a qualidade do serviço e isso para nós é extremamente importante. Aceitámos porque, de facto, faz sentido para esta região do Pinhal Norte e Sul, havendo este serviço prestado pela CM Sertã”, referiu José Farinha Nunes.

O autarca referiu que “para começar” deverá contratar-se um segundo funcionário, indicando que para já deverá chegar para esta cobertura dos concelhos em causa, e analisar-se no decorrer do tempo se com apenas dois funcionários é possível fazer face à prestação do serviço aos onze municípios. “Estou convencido que com dois funcionários conseguiremos fazê-lo”, assumiu.

A Metrologia é o estudo que garante a exatidão com que cada medição é feita. Serve para garantir que os equipamentos que medem processos e fenómenos físicos (peso, volume, temperatura, dureza, som, luz, composição química,…) o fazem corretamente. Tudo isto é feito através de processos específicos e regulamentados mundialmente, comparando as medições de cada equipamento com padrões de elevada precisão e procedendo à calibração (ajuste) dos equipamentos de medida, para que sejam tão precisos quanto possam ser. (fonte: ISQ)

Joana Rita Santos

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres, onde não falta a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Viciada no verbo Ir, nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... também por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.