O executivo camarário da Sertã está preocupado com a possibilidade da Barragem do Cabril, na freguesia de Pedrógão Pequeno, venha a ficar sem vigilantes passando a ser monitorizada eletronicamente. O assunto foi abordado na última reunião de câmara, a 15 de março, ocasião em que os vereadores tomaram conhecimento de uma carta enviada à câmara pelo presidente da Junta de Freguesia de Pedrógão Pequeno, Manuel Dias, a pedir que o executivo tomasse uma posição sobre este assunto.

O motivo  prende-se com o facto da EDP ter avançado com a abertura de um concurso para que 26 das 39 barragens que gere começassem a ter apenas vigilância eletrónica o que resultará na despensa dos vigilantes.

O presidente da Câmara da Sertã, José Farinha Nunes (PSD) referiu que esta medida “faz parte da gestão da EDP” mas a autarquia pode tomar uma posição, no sentido de sensibilizar a EDP e evitar despedimentos.

Também o vereador do PSD, Jorge Coluna, referiu que “mais grave que a perda de postos de trabalho, é a segurança nacional que está em causa”. Acrescentou que sem ninguém a vigiar a estrutura “qualquer pessoa chega ali e faz o que quer” sendo que o tempo de reação que vai existir para socorrer uma situação grave que ali ocorra fica muito diminuído. “Temos que zelar pela segurança do concelho. A EDP só pensa em lucros e nós temos que pensar que há coisas mais importantes para além disso”, considera Jorge Coluna.

Elsa Ribeiro Gonçalves

Aos 12 anos já queria ser jornalista e todo o seu percurso académico foi percorrido com esse objetivo no horizonte. Licenciada em Jornalismo, exerce desde 2005, sempre no jornalismo de proximidade. Mãe de uma menina, assume que tem nas viagens a sua grande paixão. Gosta de aventura e de superar um bom desafio. Em maio de 2018, lançou o seu primeiro livro de ficção intitulado "Singularidades de uma mulher de 40", que marca a sua estreia na escrita literária, sob a chancela da Origami Livros.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.