Luís Miguel Rosa tinha 43 anos. Foto: DR

Um bombeiro da Sertã, de 43 anos, pôs termo à vida por volta das 23h00 de domingo, dia 4 de dezembro, lançando-se da Ponte da Valada, no IC8, na Sertã. Colegas, amigos e toda a comunidade local ficaram em choque com a inesperada notícia. As cerimónias fúnebres decorrem esta quarta-feira.

Após a autópsia nos serviços de Medicina Legal do Hospital Amato Lusitano em Castelo Branco, o corpo chega às 12h00 à Capela de Santo Amaro na Sertã, onde pelas 16h00 se iniciam as cerimónias fúnebres que culminam com a inumação no cemitério da Sertã.

Luís Miguel Antunes Rosa era Subchefe nos Bombeiros Voluntários da Sertã pertencendo ao Quadro Ativo, e era também elemento da Força Especial de Proteção Civil.

Ingressou na corporação em 2003, onde progrediu na carreira de Bombeiro até à categoria de Subchefe, a que chegou em 2014. “Ao longo de todos estes anos, teve um percurso pautado pela amizade, competência, zelo e dedicação à causa”, realça a corporação numa nota publicada no Facebook.

“O Subchefe Luis Rosa, será sempre reconhecido e lembrado inequivocamente como um Bombeiro altamente responsável e profissional, merecedor do enorme respeito e admiração de todos os colegas bombeiros que com ele interagiam nas mais diversas missões”, acrescenta-se.

Também a Direção e o Corpo de Bombeiros Voluntários de Cernache do Bonjardim se associou ao momento de dor partilhado pelos “Bombeiros da Sertã, da Força Especial de Proteção Civil, familiares e amigos do Luis Rosa neste momento extremamente difícil”.

Luís Miguel Rosa pertencia ao quadro ativo dos Bombeiros Voluntários da Sertã há cerca de 20 anos e integrava a Força Especial de Proteção Civil. Era praticante de ciclismo, atletismo e pesca, entre outras modalidades, que partilhava com amigos.

José Gaio

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *