A homenagem à figura de D. Nuno Álvares Pereira no feriado municipal. Foto: mediotejo.net

É com espírito de otimismo que os autarcas à frente da Câmara da Sertã perspetivam o futuro do concelho. No dia feriado municipal, 24 de junho, o presidente da Câmara deixou uma mensagem de esperança a todos os sertaginenses, e reiterou a defesa da elevação de Sertã e Cernache do Bonjardim a cidade . Em entrevista ao mediotejo.net, Carlos Miranda (PS), eleito em setembro depois de 12 anos de gestão social democrata, apelou a que todos tenham orgulho na sua terra e na sua história, com enfoque na figura inspiradora de D. Nuno Álvares Pereira.

O dia começou com a cerimónia de Hastear da Bandeira Nacional, no Edifício dos Paços do Concelho da Sertã, com a participação da Filarmónica Aurora Pedroguense, seguindo-se a eucaristia de celebração do nascimento de Nuno Álvares Pereira na Igreja do Seminário das Missões, em Cernache do Bonjardim.

E foi na terra natal desta figura histórica, junto à sua estátua, que de seguida foi colocada uma coroa de flores. O momento foi presenciado por autarcas e dirigentes e contou com a participação dos Bombeiros Voluntários de Cernache do Bonjardim e da Filarmónica Aurora Pedroguense.

Feriado municipal na Sertã comemorado em Cernache do Bonjardim. Foto: mediotejo.net

O mediotejo.net aproveitou a oportunidade para fazer uma breve entrevista ao presidente da Câmara, Carlos Miranda (PS):

É a primeira vez que participa nestas cerimónias enquanto presidente da Câmara. Qual é a sensação?

É uma ótima sensação. Estas comemorações são meramente simbólicas pretendendo assinalar o dia do nascimento dessa grande figura da História de Portugal que é Nuno Álvares Pereira, um homem que foi um exemplo de coragem e de liderança numa determinada fase da sua vida, depois mais tarde, um exemplo de generosidade. É de facto, uma das grandes figuras da História portuguesa, nasceu aqui em Cernache do Bonjardim e nós temos muito orgulho em estar aqui a celebrar o dia do seu nascimento.

https://fb.watch/dRGU-Df-uf/

Do programa do feriado municipal, o que destaca?

Como eu disse, são comemorações simbólicas. Neste dia do Concelho não fazemos uma grande festa porque nós já temos outros momentos em que temos festas ou eventos importantes. Isto aqui são eventos mais carregados de simbolismo em que o grande destaque vai ser este com a imposição de uma coroa de flores mostrando de facto o nosso sentimento e a nossa homenagem a esta grande figura.

Nestas datas especiais, normalmente faz-se um balanço. Qual é o estado do Concelho da Sertã nesta altura?

É bom. Acho que o concelho da Sertã está vivo, está pujante, tem dinâmica. Acho que o concelho cada vez mais se vai evidenciando no contexto regional, utilizando o seu dinamismo e a sua centralidade para crescer cada vez mais. Eu sinceramente estou otimista relativamente ao futuro do concelho. Por outro lado, estou também preocupado, naturalmente, porque nós vivemos uma conjuntura muito difícil para todos os cidadãos, difícil também para a Câmara Municipal, mas estou convencido que, com a força de todos nós e com o exemplo de Nuno Álvares Pereira nós havemos de triunfar.

Qual à ideia de elevar Sertã e Cernache do Bonjardim ao estatuto de cidade, qual é a sua opinião?

Entendo que é uma ideia que deve ser discutida. Quando se iniciou essa discussão tive oportunidade de publicar um artigo sobre esse tema, aliás, já há muitos anos na Assembleia Municipal, penso que em 2005, sobre essa matéria, entendendo que poderíamos ou deveríamos discutir a elevação da Sertã a cidade. Portanto, a minha opinião continua a ser a mesma. É um assunto que deve ser discutido. Do ponto de vista prático, do dia-a-dia dos cidadãos não mudará grande coisa, mas, do ponto de vista simbólico, no sentido de reforçar a posição do Concelho da Sertã, poderá ser interessante. Quando o assunto foi lançado da última vez, achei que era um pouco inoportuno porque estávamos em cima da campanha eleitoral, poderia haver ali algum intuito eleitoralista e nós não queremos misturar este assunto. Penso que é uma discussão que deve ser feita por toda a população, também pelos líderes políticos e nos locais próprios.

Pedíamos que neste dia deixasse uma mensagem aos sertaginenses…

Neste dia tão especial a mensagem que eu deixo a todos os sertaginenses é que se orgulhem do seu concelho, da sua terra e desta grande figura que nasceu no nosso concelho que é Nuno Álvares Pereira, São Nuno de Santa Maria, um exemplo, como eu já disse, de coragem, de liderança, de generosidade.  Desejo também muita paz, muita saúde para todos e que a luz de Nuno Álvares Pereira nos ilumine a todos.

As comemorações do feriado municipal começaram no dia 23 com a peça de teatro “Três em Lua de Mel”, na Casa da Cultura da Sertã, levada à cena pela A. Com. Te. Ser – A Companhia Teatral da Sertã.

No dia 24, após as cerimónias em Cernache do Bonjardim, a comitiva dirigiu-se ao extremo norte do concelho, a Pedrógão Pequeno para, junto ao Pelourinho inaugurar a “Rota Botânica”, no âmbito do projeto Territórios 5 Sentidos.

À tarde, junto à Estátua do Padre Manuel Antunes, no Jardim dos Ensinamentos da Alameda da Carvalha, na Sertã, teve lugar a apresentação da “Rota dos Olhares e Contares do Lado de Lá” do Projeto Territórios 5 Sentidos seguindo-se o “Espetáculo de Estátuas Vivas”. Ao final da tarde, o Pavilhão Desportivo Municipal da Sertã acolheu a final da 23.ª edição do Torneio Luís Gouveia.

O programa de atividades continua nos dias 25 e 26 de junho, o Campo de Jogos Dr. Marques dos Santos e o Campo de Treino do Município da Sertã, acolhem a primeira edição do Sertã CUP, torneio de futebol de 7 para atletas Sub-13 (infantis).

A encerrar as comemorações do Feriado Municipal, decorrerá no dia 26 de junho, às 18:00, na Igreja Matriz de Cernache do Bonjardim, o concerto “Cantar a Terra: Segue-me à Capela” integrado no programa Caminhos das Pessoas da Programação Cultural em Rede do Médio Tejo.

Sertã comemora Feriado Municipal com “orgulho e otimismo” e reitera objetivo de elevação a cidade. Foto: mediotejo.net

Assinalado a 24 de junho, o Feriado Municipal evoca a data do nascimento de Nuno Álvares Pereira, em Cernache do Bonjardim (concelho da Sertã) em 1360. Intrépido cavaleiro, foi autor de várias façanhas militares, tendo uma ação decisiva na marcante Batalha de Aljubarrota, onde se jogava a independência de Portugal. Figura central no reino, foi Condestável e um dos homens mais poderosos do país.

Abdicou de todos os títulos e das vastas propriedades que detinha e entrou para o Convento do Carmo, em Lisboa, onde iniciou uma vida dedicada à caridade. Morreu no dia de todos os santos de 1431 e quase cinco séculos depois, mais precisamente em 1918, foi beatificado pelo papa Bento XV.

Em 2009, o papa Bento XVI canonizou-o como São Nuno de Santa Maria, lembrando uma “figura exemplar nomeadamente pela presença duma vida de fé e oração em contextos aparentemente pouco favoráveis à mesma, sendo a prova de que em qualquer situação, mesmo de carácter militar e bélico, é possível atuar e realizar os valores e princípios da vida cristã”.

José Gaio

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.