Foto: ADXTUR-Foge Comigo

O executivo da Câmara Municipal da Sertã aprovou em reunião ordinária esta segunda-feira, dia 7, o protocolo com a Diocese de Portalegre-Castelo Branco no âmbito do projeto “Rotas do Sagrado”, que visa a colaboração técnica, científica e financeira para a salvaguarda e valorização do património da Diocese. A iniciativa terá uma comparticipação financeira de 3000 euros durante três anos.

José Farinha Nunes, presidente da CM Sertã, referiu que o projeto fora apresentado pela Diocese “tendo em vista uma atuação conjunta no sentido da preservação e fruição do património religioso no seu território, promovendo a cooperação técnica, científica e humana entre as duas instituições” e prevendo a instituição de “uma política de salvaguarda, valorização e divulgação turística e cultural, potenciar o património religioso como uma oferta de cultura e de excelência, evidenciando-o e devolvendo-o às comunidades e assim envolver as mesmas na sua proteção e valorização”.

O autarca referiu ainda que se pretende com esta parceria “reforçar o património religioso enquanto fator de desenvolvimento socioeconómico do território, tendo em vista a preservação da identidade cultural e alavancagem de novas oportunidades para o território, tendo em conta os desígnios do município da Sertã para a valorização dos bens e valores culturais do concelho, e dado que existe um vasto património religioso que urge preservar e manter disponível para a fruição dos variados públicos, existe a necessidade de apoio à Diocese”, justificou, com base no parecer jurídico emitido.

Estão ainda previstas intervenções para a “musealização de alguns espaços existentes no concelho da Sertã”, segundo adiantou o presidente da Câmara sertaginense.

O protocolo terá uma comparticipação à Diocese no valor de 1000 euros anuais, durante 3 anos, pela autarquia, e prevê-se ainda este ano a aprovação da candidatura pela Direção Regional de Cultura do Centro. Já em 2019 prevê-se entrega da Carta municipal do Património religioso edificado e, em 2020, disponibilização da aplicação multimédia e colocação da respetiva sinalética no património.

Este protocolo irá à próxima sessão ordinária da Assembleia Municipal para aprovação do protocolo de colaboração, bem como o compromisso plurianual assumido.

Recorde-se que o projeto “Rotas do Sagrado” visa o “recenseamento dos Bens Culturais da Diocese, tanto materiais como imateriais, a sua defesa, proteção e salvaguarda e consequente divulgação através de diversas propostas”, segundo pode ler-se na informação divulgada no site da Diocese. O objectivo da candidatura “visa a gestão dos Bens Culturais na referência das suas finalidades essenciais, espiritual e cultural”, pode ler-se no site da Diocese.

Joana Rita Santos

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres, onde não falta a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Viciada no verbo Ir, nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... também por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *