Adesão ao Festival de cerveja artesanal 'Provart' superou as expectativas

“Está a ser uma agradável surpresa. A afluência de público está a superar as nossas expectativas”, disse Carla Rodrigues, da organização do Provart – Festival de Cerveja Artesanal, ao mediotejo.net, relativamente a um evento com tradição e que regressou este  fim de semana à Sertã após um ano de interregno.

Considerada “a alma do festival”, Carla Rodrigues realça a necessidade que as pessoas revelam por eventos e por convívio social depois de ano e meio de pandemia, com todas as restrições inerentes. “Nota-se que as pessoas estavam sequiosas de convívio social, de voltar a reviver estes momentos, estas partilhas”, sublinhou.

Após um ano de pausa forçada devido à pandemia, o evento regressou à vila, mas agora com nova localização: a Rua da Beira Baixa, na margem da Ribeira Grande, quando antes se realizava na Alameda da Carvalha.

A mudança deveu-se também às regras de combate à pandemia e à necessidade de controlar as entradas. Para se aceder ao evento era necessário mostrar o certificado digital ou um teste negativo à Covid-19.

Carla Rodrigues é a principal mentora do Provart. Foto: mediotejo.net

Como o novo espaço é mais limitado, foi necessário reduzir o número de produtores cervejeiros, mesmo assim os 10 participantes apresentavam mais de 50 cervejas diferentes e o público não se fez rogado usufruindo da gastronomia, música e animação no recinto.

Para Carla Rodrigues, a mudança de local “permitiu conhecer um recanto da vila não propriamente esquecido, mas que tem um potencial muito grande para criar um bom ambiente em eventos e até para momentos de lazer”. A responsável fala num “ambiente fantástico num espaço diferente”

De resto, a filosofia do Provart “passa por experimentar cervejas diferentes, partilhar os conhecimentos acerca da cerveja e desfrutar de um bom convívio, com um cartaz musical a acompanhar em três dias de muita diversão”, explica Carla Rodrigues, da Get Mood, que promove o evento em parceria com o Município da Sertã.

Para a organização, o Provart assume-se como “uma das experiências de cerveja artesanal e de convívio de referência no interior do país”, constituindo uma “viagem à cultura da cerveja artesanal acompanhado de boas vibrações e de beleza natural.”

José Gaio

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.