Assembleia Municipal de Sardoal aprovou reestruturação da Tejo Ambiente e aumento da fatura da água em 22%. Foto: DR

O tradicional Mercado de Janeiro, em Sardoal, foi cancelado em virtude da atual situação pandémica, anunciou o presidente Miguel Borges (PSD) em reunião de executivo. O evento teria lugar no próximo domingo, dia 9.

O mercado, de caráter anual, realiza-se no segundo domingo de cada ano e caracteriza-se pela comercialização, essencialmente, de utensílios agrícolas e alimentos próprios desta época.

Embora sem a dimensão de outros tempos, o Mercado de Janeiro da vila de Sardoal continuava, até à chegada da pandemia, a mobilizar as populações das terras limítrofes, que ali se deslocam em ambiente de animação e convívio para fazerem as suas compras.

Antigamente este mercado era espaço de importantes transações de gado vivo, em especial de espécies bovinas, caprinas e suínas. No espaço do antigo mercado, onde hoje é a Avenida Heróis do Ultramar, efetuavam-se vendas significativas de porcos gordos ou de leitões para criar, sendo esta uma das formas de subsistência de muitas famílias.

Recorde-se que o porco tinha uma enorme importância na economia familiar e o dia da matança do dito era acompanhado de rituais festivos, uma vez que significava a garantia de alimentação para o ano inteiro, com as carnes conservadas nas “salgadeiras”.

Paula Mourato

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.