Inauguração da exposição 'Projeto Capela' 2022. Créditos: mediotejo.net

O Centro Cultural Gil Vicente recebeu mais uma vez, após dois anos de interregno, o Projeto Capela. No âmbito do programa complementar da Semana Santa de Sardoal, no espaço Cá da Terra foi inaugurada a exposição referente ao ano 2022 com os trabalhos dos alunos do Agrupamento de Escolas de Sardoal, esta sexta-feira 1 de abril.

A aluna que venceu a edição de 2022, Nalini António, verá agora o seu desenho ganhar forma na Capela do Senhor dos Remédios (Convento de Santa Maria da Caridade). Leonor Carmo obteve o segundo lugar no concurso e Beatriz Rodrigues o terceiro.

O presidente da Câmara Municipal do Sardoal, Miguel Borges, e a diretora do Agrupamento de Escolas de Sardoal, Ana Paula Sardinha, destacaram a importância deste projeto que, apesar de ser apresentado como uma sétima edição, tem raízes de quase duas décadas.

Um projeto “muito querido” para Miguel Borges que nasceu quando era professor no Agrupamento de Escolas de Sardoal, especificamente no Gabinete das Expressões do qual fazia parte.

Realizado precisamente há 19 anos, com dois anos de interregno pelo meio devido à pandemia, a mostra resulta num conjunto de trabalhos realizados pelos alunos do Agrupamento de Escolas do Concelho, alusivos aos tapetes de flores da Semana Santa.

ÁUDIO | PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL, MIGUEL BORGES

A ideia passa por “transmitir aos jovens” a tradição e “fazer mais qualquer coisa para que não se perca e que estes valores possam ser transmitidos de geração em geração. Assim tem sido feito há séculos”, diz o autarca. No fundo os alunos são convidados a “refletir” sobre os símbolos da Páscoa e transformem essa reflexão em projeto artístico.

ÁUDIO | PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL, MIGUEL BORGES

De entre os 64 trabalhos selecionados para a exposição, embora os trabalhos tivessem chegado perto dos 200. Uma iniciativa “muito bem recebida pelos alunos” que este ano marcaram presença na exposição em grande número.

“Não só neste projeto mas todos nós sentimos que os miúdos estavam desejosos de participar em atividades. Temos tido uma adesão espetacular em tudo o que é projeto, atividades, palestras, ações de sensibilização, eles [os alunos] têm participado de uma forma espantosa e muito assertiva porque às vezes iam a algumas atividades, e como já estavam muito habituados, não tinham o cumprimento de regras que era desejado”, disse por seu lado Ana Paula Sardinha.

ÁUDIO | DIRETORA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS, ANA PAULA SARDINHA

A diretora deu conta que participaram nesta iniciativa “praticamente todos os alunos do segundo ciclo e do terceiro ciclo. Estavam muito entusiasmados uma vez que podiam vir novamente a esta exposição, sentiram que de alguma forma podiam contribuir novamente para esta tradição”.

O aumento de participações no Projeto Capela aumentou por isso “significativamente”, por norma, nos anos anteriores o número rondou os 130 desenhos, o que para Ana Paula Sardinha representou “empenho” nesta tradição além da qualidade dos projetos, salientou.

ÁUDIO | DIRETORA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS, ANA PAULA SARDINHA

A inauguração da exposição Projeto Capela 2022 surge como momento zero do programa religioso e complementar que decorre entre 3 e 17 de abril, ficando os trabalhos patentes até 30 de abril.

Na inauguração da exposição foram entregues os diplomas aos participantes do concurso.

O Projeto Capela é enquadrado pelo Agrupamento de Escolas de Sardoal e tem o objetivo de estimular a criatividade e sensibilizar para a importância de se manterem vivas as tradições no Concelho, envolvendo os alunos na Semana Santa e numa tradição secular.

Em exposição 12 telas da Santa Casa da Misericórdia 

Também a exposição “Caminho de Fé”, com 12 obras sobre tela propriedade da Santa Casa da Misericórdia de Sardoal, foi inaugurada no mesmo dia, ficando patente ao público até dia 30 deste mês, no Centro Cultural Gil Vicente.

Integrada na programação complementar da Semana Santa de Sardoal, a mostra é composta por 12 telas, pintura a óleo sobre tela do século XVI e XVII, cujo tema central é o caminho de Jesus Cristo até ao Calvário, a Flagelação, a Coroação de Espinhos, as Bandeiras Reais da Misericórdia de Sardoal, a Cena da Lamentação (Virgem da Piedade), Ultima Ceia e um Calvário.

As Bandeiras e os Painéis com a Flagelação, a Coroação de Espinhos e da Virgem da Piedade são os originais que saíam na Procissão dos Fogaréus, tendo sido desanexadas dos pendões, perdendo o seu contexto processional aquando da sua conservação.

Foi com “enorme alegria” que o presidente da Câmara Municipal de Sardoal manifestou o regresso à rua das manifestações populares de religiosidade, após dois anos de pandemia.

Inauguração da exposição, Caminhos de Fé, no âmbito de Semana Santa de Sardoal. Créditos: mediotejo.net

“Manifestações ricas do nosso património imaterial. Passado este interregno forçado que tivemos. É bom que assim se, que tentemos retomar alguma normalidade” mas “sempre com muita precaução porque na verdade estamos no bom caminho, em termos de pandemia, mas não é um caminho terminado” advertiu.

Miguel Borges considerou a Semana Santa “muito importante para o concelho” de Sardoal também “para dar dinâmica a nossa pequena economia local, porque nesta altura recebemos muitas pessoas vindas de todos os pontos do país”.

Inauguração da exposição, Caminhos de Fé, no âmbito de Semana Santa de Sardoal. Créditos: mediotejo.net

Quanto à exposição, o autarca explicou que no âmbito da Semana Santa, “procuramos sempre promover o melhor contacto entre aquilo que são as imagens e os símbolos da Semana Santa, que muitas vezes vemos passar, por exemplo nas procissões, e não é possível admirar com essas passagens a beleza artística deste património. Já o fizemos com diferentes imagens, diferentes figuras”. Este ano é a vez dos painéis da Santa Casa da Misericórdia de Sardoal, algumas telas com 400 e 300 anos.

ÁUDIO | PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL, MIGUEL BORGES

Numa época de grande relevância religiosa e cultural para o concelho de Sardoal, como é a Páscoa, esta exposição permite, então, dar a conhecer parte do valioso património artístico da Santa Casa da Misericórdia de Sardoal.

Neste momento o Município aguarda o resultado de uma candidatura, da Semana Santa proposta a Património Cultural Imaterial Nacional.

Paula Mourato

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.