Seiras e capachos da Sifameca, Mouriscas, Abrantes. Créditos: mediotejo.net

A TAGUS – Associação para o Desenvolvimento Integrado do Ribatejo Interior, em conjunto com os municípios parceiros de Abrantes, Constância e de Sardoal, apresenta o projeto AO.RI – Artes e Ofícios do Ribatejo Interior, no próximo sábado, 19 de março, no Centro Cultural Gil Vicente, em Sardoal.

Esta sessão pretende apresentar o projeto AO-RI – Artes e Ofícios do Ribatejo Interior, realçando a importância de promover e valorizar as artes e ofícios tradicionais, que são representativas das vivências, os saberes-fazer, a identidade e cultura do território.

Neste sentido, no dia 19 de março, promove-se a integração dos participantes deste projeto com a comunidade, demonstrando as suas áreas de atuação num projeto que, além de pretender valorizar as artes e ofícios tradicionais, tem como objetivo complementar a oferta dos produtos turísticos do Médio Tejo.

A sessão de apresentação do projeto contará com diferenciadas intervenções. Começará com Jorge Brandão, vogal executivo do Centro 2020, que apresentará a perspetiva da valorização do património identitário da região Centro, seguindo-se Conceição Pereira, coordenadora da TAGUS, que fará o enquadramento do projeto AO.RI. Por sua vez, Paulo Passos, diretor criativo da Napperon, comunicará sobre o desenvolvimento da imagem do projeto, e Paulo Lima, antropólogo, explicará como se vai desenvolver o levantamento histórico das artes e ofícios do Ribatejo Interior. As intervenções terminarão com Luís Rocha, diretor do CEARTE – Centro de Formação Profissional para o Artesanato e Património, cujo tema é a qualificação e o e reconhecimento dos artesãos, como forma de profissionalizar e desenvolver o artesanato.

Neste evento, será oficializada a assinatura do protocolo de colaboração entre a TAGUS e o CEARTE, no âmbito deste projeto, envolvendo presidentes dos municípios de Abrantes, de Constância e de Sardoal, e Luís Rocha, diretor do Centro de Formação Profissional para o Artesanato e Património.

Este protocolo pretende, através de formações de curta duração, desenvolver a competitividade dos artesãos, disponibilizando-lhes ferramentas de apoio que os auxiliem a (re)pensar o seu negócio.

Também se realizarão workshops de iniciação às atividades tradicionais, dirigidos a jovens locais envolvidos nas áreas das artes e design, e outros potenciais interessados, que irão conhecer as técnicas de saberes-fazer tradicionais.

Desta forma, “assegura-se a sua preservação e serão estimulados futuros projetos de empreendedorismo, que garantirão a continuidade da produção”, releva a organização.

O evento engloba uma vertente expositiva referente às artes e ofícios do Ribatejo Interior, que se traduz numa exposição do artesanato emblemático dos municípios de Abrantes, Constância e Sardoal, seguindo-se uma degustação de produtos locais, que encerrará o evento.

A entrada no evento é gratuita, mas é necessária inscrição prévia, através do e-mail tagus@tagus-ri.pt ou do telefone 241 106 000.

O projeto AO.RI – Artes e Ofícios do Ribatejo Interior é resultado de uma candidatura ao Programa Operacional do Centro, e cofinanciado pelo FEDER – Fundo Europeu para o Desenvolvimento Regional.

Paula Mourato

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

Entre na conversa

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.