Fotografia: Unsplash

O executivo municipal de Sardoal deu conta, em reunião de executivo realizada na quinta-feira, 11 de agosto, de algumas medidas de uso eficiente da água, no concelho, como a diminuição dos tempos de rega de jardins e espaços verdes públicos, sendo que algumas regas têm sido feitas através de pontos de captação de água, excluindo a utilização de água da rede pública.

No entanto, ao nosso jornal, o presidente da Câmara Municipal garante que, em Sardoal, “o valor que damos à água não é de agora. Temos tido ao longo de vários anos o cuidado na gestão dos recursos hídricos. Agora há esta exposição mediática, e real, da seca, dos rios e das barragens que estão com cotas baixíssimas […] a água é um recurso finito, mas é finito há muitos anos”, sublinha Miguel Borges (PSD).

Reunião de Câmara Municipal de Sardoal. Créditos: mediotejo.net

O autarca assegurou que o racionamento do consumo de água no concelho existe “há bastante tempo, mas há sempre alguma coisa que pode ser feita. O desafio está no equilíbrio entre manter os espaços verdes, verdes, e a redução do consumo de água”.

Falando na redução dos tempos de regra diz ser “feita durante a noite, quando a evaporação não é tão grande, e através de furos de captação, sendo certo que também estamos a falar de água e não pode ser gasta de qualquer maneira”, considera.

O presidente explica que na zona do Ribeiro Barato existe um “poço mas nem sempre chega para regrar toda aquela zona por isso está a ser regada com o apoio de outra captação através de um carro tanque dos bombeiros, que já não faz serviço de bombeiros, mas que faz esse transporte, dá apoio à rega”.

Borges apelou ao uso sustentável da água e para que seja evitado o desperdício no quotidiano. “Muito do que tem de ser feito é por cada um de nós, em casa. Há hábitos que temos, que teremos de deixar. Há muita coisa que aprendemos com a pandemia e agora também vamos ter de aprender muita coisa com a seca”, afirmou.

A sustentabilidade de recursos estende-se também à energia. “Neste momento estamos a trabalhar para ser uma comunidade de energia renovável, com espaços onde pretendemos, através de parcerias, instalar painéis fotovoltaicos para autoconsumo”, indicou, lembrando que Sardoal “tem uma boa exposição solar”.

Áudio: Presidente da Câmara Municipal de Sardoal, Miguel Borges

Dando conta também que grande parte da iluminação pública é feita através de lâmpadas led, o autarca indica que o único monumento iluminado durante a noite é a Igreja Matriz, mas para já “esta fase, não nos obriga a desligar. Ainda não chegámos a esse ponto” e com sistema led “o consumo é reduzido”, referiu, apesar de reconhecer a necessidade de “pequenos gestos”.

Paula Mourato

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.