A tradição das Capelas enfeitadas com tapetes de flores em Sardoal. Foto: mediotejo.net

O Município de Sardoal vai estar presente, pelo sexto ano, na Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), com o intuito de apresentar e promover as potencialidades turísticas do concelho, entre elas a Semana Santa, que decorrerá no mês de abril.

No dia 19 de março, a Semana Santa de Sardoal estará em destaque no stand da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo (CIMT) onde, à semelhança de anos anteriores, será elaborado ao vivo um dos tradicionais tapetes de flores que adornam as Capelas e Igrejas do Concelho.

Questionado pelo mediotejo.net se a Semana Santa será uma realidade esta Páscoa em Sardoal, o presidente da Câmara, Miguel Borges, garantiu que “está a ser trabalhada com normalidade, como nos anos anteriores” à pandemia. Mais próximo do momento “logo se avaliará”, disse, referindo-se ao evoluir do número de infeções por covid-19, que atualmente está em situação crescente.

Integrada no stand da Associação de Municípios da Rota da Estrada Nacional 2, o município sardoalense fará, igualmente no dia 19 de março, uma promoção do concelho enquanto local de passagem da EN2.

A presença do Município de Sardoal na BTL insere-se na estratégia de promoção do turismo, enquanto fator de desenvolvimento económico-social deste concelho.

A Bolsa de Turismo de Lisboa decorre na Feira Internacional de Lisboa (FIL) no Parque das Nações, em Lisboa, entre 16 e 20 de março, sendo o mais importante certame de turismo que acontece no país.

Paula Mourato

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.