Parque temático Futuroscópio, em França

A habitual viagem de estudo, destinada aos alunos do 9.º ano de escolaridade e do ensino secundário do concelho de Sardoal, vai este ano decorrer entre 23 de julho e 1 de agosto e tem como principais destinos Espanha e França.

Desta forma, os alunos sardoalenses visitarão, entre outros locais de interesse, o Mont Saint-Michel e a Praia de Omaha, na Normandia, o Futuroscópio, parque temático em Poitiers, e Biarritz, uma encantadora cidade litoral do sudoeste de França.

A viagem, organizada pela Câmara Municipal, tem como objetivo proporcionar aos jovens estudantes sardoalenses o contacto com outras comunidades, novas culturas e realidades, como complemento e enriquecimento da sua formação pedagógica e pessoal.

Estas viagens de estudo são realizadas há 24 anos consecutivos e ao longo deste tempo foram muitos os jovens alunos de Sardoal que tiveram oportunidade de conhecer a Europa (Espanha, França, Itália ou Bélgica), deslocando-se a locais de grande interesse histórico, cultural ou ambiental (Tordesilhas, Salamanca, Astúrias, Monteplier, Vale d’Aosta, Paris, etc.), a parques temáticos de elevado interesse lúdico e científico, como a Eurodisney, bem como ao Parlamento Europeu (Bruxelas e Estrasburgo).

A acompanhar os jovens na viagem irão funcionários do Município e professores da Escola EB 2,3/S Dra. Maria Judite Serrão Andrade cuja função é enquadrar, pedagogicamente, as diversas vertentes desta viagem.

O interesse e mais valias pedagógicas destas viagens levou os Municípios de Constância e Mação a aderirem a este projeto e, nos últimos anos, têm participado nestas viagens em conjunto com o município sardoalense.

Paula Mourato

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.