Conferência da TAGUS destaca artes e ofícios no dia 13 de janeiro. Foto: DR

A TAGUS – Associação para o Desenvolvimento Integrado do Ribatejo Interior está a preparar, em parceria com os Municípios de Abrantes, Constância e Sardoal, uma conferência sobre temáticas ligadas ao artesanato, que vai decorrer durante o dia 13 de janeiro, no Centro Cultural Gil Vicente, em Sardoal.

Esta iniciativa tem como objetivo apresentar o resultado do levantamento histórico das artes e ofícios do Ribatejo Interior, efetuado pelo antropólogo Paulo Lima, e partilhar outras experiências nacionais em matérias de valorização deste património, num programa rico em projetos diferenciadores e oradores com um vasto conhecimento na temática.

Integrada no projeto AO.RI – Artes e Ofícios do Ribatejo Interior, a manhã da conferência, de dia 13 de janeiro, será dedicada a intervenções relacionadas com a preservação das artes e ofícios tradicionais, o património imaterial e os “saber fazer” como produtos turísticos, entre outras temáticas.

Para falar sobre estes assuntos estarão presentes Helena Freitas, da Universidade de Coimbra, Rita Jerónimo, da Direção Geral do Património Cultural, Filipe Themudo de Barata, da Universidade de Évora, e Pedro Machado, do Turismo do Centro.

Ainda na sessão da manhã, destaque para a apresentação de Américo Rodrigues, da Direção Geral das Artes, sobre o programa “Saber Fazer”, que se trata da criação de um repositório, em formato de plataforma digital, com informação sobre materiais naturais, os artesãos, as tecnologias que os transformam e os locais onde se pode obter mais conhecimento sobre as práticas tradicionais.

Já a parte da tarde será ocupada com alguns exemplos de projetos de valorização que têm sido dinamizados à volta do artesanato e dos ofícios tradicionais, como são o caso dos bonecos de Estremoz, a construção naval em madeira de Vila de Conde, os centros de ofícios tradicionais da ROTA Criativa – Rede de Ofícios Tradicionais e Arte Criativa das Terras de Santa Maria, o CRIAR – Centro em Rede de Inovação do Artesanato Regional para formação e exposição das artes de Odemira, o projeto TASA, que conjuga o design com o artesanato, e o RED BOOK – Lista Vermelha das Atividades Artesanais Algarvias.

O CEARTE – Centro de Formação Profissional para o Artesanato e Património também marcará presença nesta iniciativa para informar como é que os artesãos se podem qualificar e reconhecer para desenvolver a sua atividade.

A sessão de abertura da conferência Artes e Ofícios do Ribatejo Interior irá contar com a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC) e no encerramento está prevista a presença do representante máximo do Ministério da Coesão Territorial. O evento terminará com uma visita às instalações do espaço partilhado para as artes e ofícios – Art Of.

Esta conferência é de participação gratuita, mas com inscrição obrigatória, que está disponível no sítio na Internet da TAGUS (tagus-ri.pt).

Relembramos que o projeto AO.RI – Artes e Ofícios do Ribatejo Interior, apoiado no âmbito do Programa Operacional do Centro (Centro 2020), do Portugal 2020, e cofinanciado pelo FEDER – Fundo Europeu para o Desenvolvimento Regional, pretender valorizar as artes e ofícios tradicionais e complementar a oferta dos produtos turísticos do Médio Tejo.

Paula Mourato

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *