“Fake week” em Ourém alerta para os perigos da desinformação. Foto: Pixabay

No sentido de combater a desinformação, o Agrupamento de Escolas de Sardoal realiza um debate escolar sobre fake news e quais as estratégias a adotar neste combate cada vez mais urgente. O debate, que vai decorrer na quinta-feira, no âmbito do Parlamento dos Jovens, tem lugar no Centro Cultural Gil Vicente, das 09h00 às 10h30, e tem como público alvo as turmas do ensino básico.

Face à velocidade atual, com que qualquer informação, fidedigna ou não, é veiculada através da Internet, está cada vez mais presente a preocupação sobre a disseminação de conteúdos não validados colocando em causa o debate livre e informativo e, consequentemente, fragilizar a estabilidade das sociedades democráticas, sendo este o mote para esta sessão de esclarecimento e debate.

A desinformação é o termo usado para definir qualquer tipo de conteúdo e ou prática que contribua para o aumento de informação falsificada, não validada ou pouco clara para afastar os cidadãos do conhecimento factual da realidade.

As notícias falsas são globalmente designadas por fake news. Podem indicar a vontade deliberada de distribuir informação falsa ou rumores, independentemente dos meios de comunicação e motivações associadas à sua criação. 

Paula Mourato

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.