Foto: DR

A população da extinta freguesia de Vaqueiros, no concelho de Santarém, aprovou, domingo, dia 21 de janeiro, uma moção na qual exige “a reversão célere das freguesias de Vaqueiros e Casével” e decidiu promover mais uma petição e um encontro sobre o tema.

Em comunicado, o movimento cívico “Refundar Vaqueiros” afirma que a moção saída da reunião realizada no domingo, que contou com a participação de “dezenas de cidadãos”, vai ser enviada ao Presidente da República, ao Governo (Ministério da Administração Interna), à Assembleia da República, à Câmara e Assembleia Municipal de Santarém e aos diversos partidos políticos.

“Esta reunião acontece após as eleições autárquicas, após o anúncio do ministro [Eduardo Cabrita] em voltar a mexer na reforma administrativa e as promessas dos partidos transmitidos nas últimas eleições”, lê-se no comunicado.

O movimento anuncia a realização, em fevereiro, de mais um encontro sobre este tema, com a participação de autarcas locais e de deputados, e o início de uma campanha “mil assinaturas por Vaqueiros e Casével”, para nova petição a entregar no parlamento.

A moção lembra que passaram “mais de cinco anos após a extinção da freguesia” e considera este “o momento oportuno” para a população “se manifestar mais uma vez contra a agregação Casével/Vaqueiros, dado que se tornaram mais claros e evidentes os efeitos produzidos pela extinção da sua Junta e assembleia de freguesia”.

Em particular, refere o encerramento da escola e do infantário, do refeitório, do posto de saúde e a alteração de protocolo com instituições particulares de solidariedade social na área de apoio social, “entre outras perdas”.

“Neste período de tempo nenhum destes serviços foi recuperado. Vaqueiros ficou mais pobre sem governo de proximidade, com deslocação de crianças, fuga de jovens casais, dificuldade de fixação da população, sem participação ativa dos cidadãos nas decisões e na vida coletiva e democrática”, acrescenta o texto.

A moção recupera declarações do ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, em novembro último no parlamento, durante o debate do Orçamento do Estado, segundo as quais “o processo de reorganização territorial das freguesias para eventual reposição de autarquias locais deverá ser relançado no início de 2018 pelo Governo, em proposta de lei estabelecendo regras, designadamente no que diz respeito à reorganização de freguesias”.

O texto lembra ainda “as diversas deliberações da assembleia de freguesia da união Casével/Vaqueiros favoráveis a refundação destas” e sublinha que Vaqueiros “possui potencial ao nível do património construído, equipamentos coletivos, infraestruturas de saneamento básico, habitação social e passado histórico de grande relevo na história de Portugal”.

À lista de argumentos junta-se “o afastamento de 25 quilómetros relativamente à sede do concelho”, Santarém, e “a necessidade de combater o isolamento e a desertificação, promovendo a fixação da população”.

Agência Lusa

Agência de Notícias de Portugal

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *