Programa FinAbrantes apoia 78 coletividades com mais de 900 mil euros e recebe Bandeira da Ética. Foto: CMA

A cerimónia de assinatura dos contratos-programa decorreu em Tramagal, no Largo dos Combatentes, junto à sede do Tramagal Sport União (TSU) que recentemente assinalou os seus 100 anos de vida, e contou com as presenças, entre outros, do presidente da Câmara Municipal de Abrantes, Manuel Jorge Valamatos, do coordenador do Plano Nacional de Ética no Desporto, José Lima, do presidente da Junta de Freguesia de Tramagal, António José Carvalho, e do presidente do TSU, João Serafim, que salientou “a importância destes apoios do Município para a continuação do trabalho das associações”.

O presidente da Câmara Municipal de Abrantes, Manuel Jorge Valamatos, começou por referir que “é inegável que o tecido associativo em Abrantes é a expressão organizada de um dos mais dinâmicos agentes de transmissão de identidade cultural, social e desportiva do nosso concelho” e salientou que, apesar da pandemia, “as nossas associações foram e continuarão a ser decisivas para garantir o que de melhor o futuro nos reserva”.

“Nos últimos quatro anos, o Município de Abrantes investiu mais de 2,5 milhões de euros neste programa de apoio às coletividades, valor que reconhece a importância que estas coletividades têm para o nosso concelho”, salientou.

Para 2022, o total do financiamento aprovado foi de 908.095,02 euros para 78 coletividades e um total de 172 projetos aprovados. No valor total do apoio, está incluída a verba de 300 mil euros, que se veio juntar aos cerca de meio milhão de euros habitual do FinAbrantes, para apoiar as instituições desportivas, culturais e sociais com a conservação/beneficiação e construção de infraestruturas e a aquisição de equipamentos e de viaturas que, neste ano de 2022, contemplou 19 entidades.

“Este é um pacote financeiro que voltaremos a ter porque foram muitas as candidaturas que recebemos este ano e não conseguimos apoiar todos”, salientou Manuel Jorge Valamatos.

Durante a cerimónia, foi entregue à Câmara Municipal de Abrantes a Bandeira de Ética, atribuída pelo Plano Nacional de Ética no Desporto, pelas mãos do seu Coordenador Nacional, José Lima.

O município de Abrantes recebeu a Bandeira da Ética pelo programa FinAbrantes. Foto: mediotejo.net

A Bandeira de Ética vem, assim, certificar o programa FinAbrantes por valorizar os projetos diferenciadores e inovadores que contribuem para a igualdade de género e não-discriminação, para a educação parental e para a ética dos valores.

“Esta bandeira é a certificação de boas práticas”, destacou José Lima, que apelou ainda a todos os dirigentes associativos presentes a “apresentarem candidatura dos seus projetos a esta certificação”.

Assinatura dos contrato-programa de apoio a coletividades do Concelho de Abrantes. Créditos: CMA

Para o presidente da Câmara Municipal de Abrantes, “esta certificação orgulha-nos, mas também nos responsabiliza para continuar a fazer mais e melhor, reforçando, ainda mais, o compromisso municipal no apoio ao tecido associativo e na promoção dos valores éticos do Desporto”.

“O Município de Abrantes tem confiado e continuará a confiar no papel das suas associações, entendendo-as como essenciais e determinantes para a união do nosso concelho”, concluiu Manuel Jorge Valamatos.

O FinAbrantes é um programa municipal de incentivo a entidades concelhias que tem como objetivo manter e apoiar as atividades das diversas entidades nas áreas da cultura, desporto, recreio, juventude e da intervenção social, de forma regular e diversificada, uma vez que são pilares fundamentais de coesão social e de apoio aos interesses e necessidades de cada cidadão.

Com Paula Mourato. Fotogaleria: CMA

Mário Rui Fonseca

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.