Câmara de Ourém. Foto: mediotejo.net

Com um défice a rondar os 896 mil euros em 2021, a empresa intermunicipal Tejo Ambiente obriga os municípios que a integram (Tomar, Ferreira do Zêzere, Ourém, Mação, Sardoal e Vila Nova da Barquinha) a fazer transferências financeiras para cobrir os prejuízos financeiros e equilibrar os resultados do exercício de 2021, na proporção da respetiva participação social.

No caso de Ourém, o montante em causa é de 290 mil euros, correspondente aos 32,37 por cento do seu capital social na empresa.

Este mecanismo legal de reposição do equilíbrio é obrigatório, no entanto, a Tejo Ambiente não pode voltar a registar a registar prejuízos, correndo o risco de ter de cessar atividade. De acordo com a lei, só pode acumular prejuízos durante dois anos consecutivos. Em 2020, o défice foi de 2,2 milhões de euros.

Além do município oureense, Tomar tem de transferir para a Tejo Ambiente 319 mil euros, Ferreira do Zêzere, 71 mil euros, Mação, 97 mil euros, Vila Nova da Barquinha, 68 mil euros e Sardoal, 50 mil euros.

Os principais investimentos que a Tejo Ambiente está a realizar Ourém têm a ver com os sistemas de saneamento de águas residuais em Ourém – freguesias de Nossa Senhora das Misericórdias, Atouguia e Nª Srª da Piedade), mais de 1 milhão de euros, Rio de Couros e Casal dos Bernardos, 814 mil euros + IVA, estrada de Minde e Boleiros (Freguesia de Fátima), 1 milhão e 498 mil euros + IVA, Bairro (Freguesia de Nª Srª das Misericórdias), 1 milhão e 444 mil euros + IVA.

José Gaio

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

Entre na conversa

2 Comentários

  1. Boa tarde. A empresa intermunicipal apresenta um prejuízo desta monta? Há algo que não bate certo. Mês após mês a empresa cobra aos consumidores de água deste concelho uma factura bem pesada, chegando o seu valor a aproximar-se dos consumos da própria água, é admissível que mesmo assim dê prejuízo? Começava a ser tempo de questionar a administração desta empresa. Obrigado.

  2. Sinceramente, estou cada vez mais insatisfeita com estes arranjinhos que os municípios fazem. Tudo isso para roubar aos munícipes. Eu gastei 16 euros da água e a minha fatura é de 30,98 euros. Só da Tejo Ambiente são 12 euros. Como é possível. Antes desta empresa pagava 18 a 20 euros.
    Não se compreende.
    Filomena Menezes

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.