Foto: CM Sertã

Lançado em junho de 2021, o primeiro concurso para a execução do Sistema Elevatório da Carvalha, no município da Sertã, ficou deserto, ou seja, não houve qualquer empresa concorrente a este procedimento que tinha como preço base 760 mil euros. Por isso, a empresa Águas do Vale do Tejo teve de lançar novo concurso, agora com um preço base de 1 milhão e 200 mil euros.

Também o prazo de execução da obra, que pretende encaminhar as águas residuais, ou seja, esgotos, para a ETAR – Estação de Tratamento, aumentou de 270 para 300 dias.

Ainda no dia 11 de abril foram feitas mais denúncias públicas nas redes sociais de poluição na ribeira do Amioso no centro da Sertã, com referência a “águas contaminadas por espumas e cheiro nauseabundo”.

A empreitada da AdVT visa a execução do Sistema Elevatório da Carvalha, incluindo a remodelação dos circuitos hidráulicos exteriores de ligação da rede “em baixa” à estação elevatória incluindo coletores, câmaras de visita e descarga de emergência; a construção e colocação em funcionamento da estação elevatória, incluindo câmara de controlo de caudal afluente, gradagem, poço de bombagem, desodorização, respetivo edifício e recinto associado.

Trata-se de uma estação elevatória de águas residuais urbanas, com 120 m3/h de capacidade e respetiva conduta elevatória, com cerca de 1,5 km.

Segundo a entidade responsável pelo sistema, estas novas infraestruturas permitirão o encaminhamento para a ETAR das águas residuais urbanas da vila da Sertã e irão reforçar a capacidade hidráulica da infraestrutura em exploração pelo Município. A nova estação elevatória será dotada de equipamentos e instrumentação de tecnologia recente, permitindo aumentar a fiabilidade do sistema de transporte das águas residuais urbanas até à ETAR.

Irá resolver situações pontuais, sempre que a infraestrutura existente (em exploração pelo Município) não tenha capacidade para elevar/transportar a totalidade do caudal terá de descarregar o excesso de caudal junto ao açude.
A infraestrutura a construir terá maior capacidade, perspetivando-se que o problema de descargas de caudais junto ao açude seja eliminado ou minimizado, sempre que não existam descargas indevidas, situação para a qual a AdVT já alertou por diversas vezes o município.

As infraestruturas em apreço asseguram o transporte das águas residuais para a ETAR, tendo maior capacidade do que o sistema atualmente existente, pelo que melhorará a capacidade de transporte, eliminando ou minimizando os problemas ambientais, garante a AdVT.

Acrescenta que esta obra completará o sistema de saneamento “em alta” do Subsistema da Sertã que visa assegurar que as águas residuais urbanas sejam tratadas e descarregadas em conformidade com os requisitos ambientais exigidos, dentro de padrões de qualidade elevada. Com a obra anteriormente referida, Sistema Elevatório da Carvalha, o Subsistema da Sertã ficará construído para o tratamento de águas residuais urbanas com capacidade de 8.000 habitantes-equivalentes (o dobro da infraestrutura anteriormente existente) e um caudal máximo diário de 1240 m3/d, correspondendo a um caudal horário máximo de 120 m3/h.

A AdVT, em esclarecimentos enviados ao mediotejo.net, salienta a importância de o município garantir que as águas residuais (transportadas pela rede “em baixa” sob gestão e responsabilidade do Município), afluentes à rede em alta da AdVT, cumpram os requisitos de qualidade exigidos, ou seja, apresentem qualidade equiparável a águas residuais urbanas, em conformidade com o Regulamento de Exploração de Saneamento de Águas Residuais da AdVT.

O concurso engloba ainda a construção dos emissários de bypass da estação elevatória, a conduta elevatória e a ligação desta ao tratamento preliminar da ETAR.

As propostas das empresas construtoras têm de ser entregues até 24 de maio, conforme anúncio publicado no Diário da República do dia 25 de março.

José Gaio

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *